Texto de despedida (ou ” até logo ”) a Salvador

setembro 17, 2016

Nesta última semana, meu coraçãozinho foi tomado por uma infinidade de sentimentos e eu acho que nunca estive tão emocionalmente instável como nos últimos dias. É que ao longo deles vivi uma sequência atípica de despedidas (ou ” até logos ”), cada uma com sua intensidade, expressividade e jeitinho característicos, mas todas elas, em comum, causando aquele apertinho no coração e aquele nózinho na garganta, que, sim, ainda permanecem bem aqui…

E eis que o motivo de todos esses sentimentos e de todas essas despedidas é que esta é oficialmente minha última madrugada em Salvador (sim, meus caros, vos escrevo de madrugada), já que em poucas horas estarei dentro de um avião cujo destino é uma nova jornada da minha vida, feita no Rio de Janeiro, minha tão querida terrinha natal.

Confesso que é beeem estranho imaginar que esse desejo imenso, que nunca deixou de existir em mim desde que mudei pra cá, há 6 anos atrás, está finalmente se tornando realidade. A essa altura, certamente o Matheus de 12 anos, aquele que veio pra capital soteropolitana com o maior bico do mundo por ter vindo contrariado e por ter sido obrigado a deixar o Rio pra trás, estaria pulando pelo quarto e dançando na frente do espelho feito um louco por poder retomar sua vidinha carioca novamente. Já o Matheus de 19 está com a felicidade e a esperança de que tudo dê certo nessa nova caminhada estampadas nos olhos, em contrapartida não consegue deixar de pensar o quanto o Matheus de 12 era ingênuo por não vislumbrar a mínima possibilidade de felicidade aqui. Que bom que ele estava absolutamente equivocado…

Apesar de eu sempre ter tido a consciência de que o meu cantinho no mundo é o Rio, Salvador me presenteou com coisas incríveis e dou graças a Deus por Ele ter tocado meu coração pra que eu começasse a me permitir viver tais coisas (inclusive o único arrependimento é o de não ter me permitido mais, muuuito mais). Foram 6 anos recheados de acontecimentos e momentos que jamais serão apagados da minha memória, de amizades que foram lindamente construídas e que quero levar pra vida inteira, de lições e aprendizados que talvez eu nem tivesse me deparado e de fato os incorporado caso não tivesse passado por esse processo de mudança… Foram 6 anos, 6 lindos anos, que tenho orgulho em poder dizer que ficarão registrados na minha história pra sempre!

Vou levar comigo, no coração, na memória e na mala, cada momentinho vivido. Lembrarei do meu primeiro aniversário comemorado aqui, no qual ganhei um bolo surpresa de Prestígio delicioso e vi meu coração sair pela boca ao perceber que junto ao bolo estava lá um ingresso pra assistir ao meu segundo show dos Jonas Brothers (minha banda favorita até hoje, apesar de já extinta); das minhas maratonas de estudo pra conseguir dar conta de todas as provas de Recuperação e não reprovar no final do ano; da sensação mega estranha ao me olhar no espelho e me deparar com um Matheus usando seu primeiro aparelho nos dentes (como em alguns dias doía!); da minha primeiríssima sessão de autógrafos com um autor específico e a minha introdução com tudo nesse universo literário; das minhas guerras de balões d’água na piscina com a primeira empregada que tivemos aqui em casa, Tati (<3); de quando eu subi no palco da formatura pra pegar o meu certificado de conclusão do ensino médio (nunca me canso de lembrar dos olhinhos orgulhosos de minha mãe e meu padrasto me acompanhando durante todo o tempo da cerimônia); das minhas séries intermináveis e exaustivas de mil e um tipos diferentes de nados nas aulas de natação; do meu primeiro dia de faculdade ao lado de uma das melhores amigas da vida (apesar de a experiência como um todo não ter sido tão incrível assim); da época em que eu queria porque queria transformar o sótão da minha casa em um estúdio de webshow estilo iCarly; das minhas repetidas e incansáveis sessões triplas de cinema com Carol; da luta que era pra conseguir pegar e prender meus porquinhos da índia de estimação quando eles ficavam soltos na grama; das resenhas e risadas altas dos almoços em família; da sensação de poder ao pegar a minha carteira de motorista… Ai, ai, só de listar e automaticamente reviver cada um desses momentinhos na memória já bateu uma saudade…

Maaas, como nada nessa vida é feito apenas de felicidades, esse período em Salvador também me rendeu uma série de acontecimentos ruins e extremamente desgastantes, tanto pra mim quanto pra minha mãe e meu padrasto, que sempre estiveram a par de tudo, mesmo que muitas das vezes à distância. Quando penso nesses acontecimentos negativos, deixo de lado as amizades que me decepcionaram e acabaram por se desfazendo, as desilusões amorosas, o primeiro assalto, e a primeira coisa que me vem em mente é uma das fases mais difíceis e complicadas que já vivi na vida, fase essa em que eu não tinha um resquício sequer de ânimo quanto aos estudos, fazendo com que minha situação escolar se tornasse um verdadeiro caos, por anos consecutivos. E esse período que fez parte da minha história em Salvador foi algo extremamente negativo, porque trouxe um puta desgaste financeiro, sobretudo emocional, pra dentro de casa, afetando diretamente minha mãe e meu padrasto, e minha vida como um todo. Por conta dessa fase acabei perdendo inúmeras oportunidades que teriam sido incríveis pra mim, em vários aspectos. Felizmente já superei essa fase quase que em sua totalidade, mas alguns efeitos colaterais dessa ainda afetam um pouco minha vida até hoje. O lado positivo de ter vivido todos esses acontecimentos ruins e de todo esse processo de ” quem sete vezes cai, levanta oito ” é que extraí de tudo uma série de aprendizagens e lições que levarei pra vida inteira. E o mais importante é que também pude crescer como pessoa.

E é justamente pra crescer ainda mais como pessoa, me descobrir, me reinventar, sair da zona de conforto, viver novas experiências, correr atrás dos meus sonhos é que estou retornando ao Rio de Janeiro. Quer dizer… Retornando, não. O Matheus de 12 anos encararia tudo isso como um retorno. Já o Matheus de 19 prefere encarar como um novo começo! E a Salvadô… A Salvadô sou extremamente grato por tudo o que vivi nessa cidade, por todos os melhores e piores momentos, por absolutamente tudo o que contribuiu pra ser exatamente quem eu sou hoje! A você, Salvadô, todo o meu amô! Isso não é uma despedida, é um ” até logo ”! <3

Matheus CarvalhoQuem escreveu? Matheus Carvalho

18 anos, futuro jornalista, aspirante a blogueiro, um vício pouco saudável por entretenimento. Desafio vocês a me contarem nos comentários abaixo o que acharam de mais legal neste post em 3, 2, 1... 0/

Novidade: Vou para a Bienal do Livro de São Paulo! + Lançamentos literários mais legais desta edição

agosto 25, 2016
Foto: Reprodução/Wikipédia.

Foto: Reprodução/Wikipédia.

YAAAAAAY! 0/ Eu mal consigo acreditar que F I N A L M E N T E estou compartilhando esta supernovidade com vocês! Isso já é algo que venho sonhando e desejando que acontecesse há muuuito tempo, desde o final do ano passado pra ser mais específico, mas como só agora recebi a confirmação de que realmente vai rolar, é quando decidi vir aqui em primeira mão contar pra vocês! Ultimamente ando bem assim mesmo, optando por guardar aqueles sonhos mais especiais e importantes apenas comigo e com as pessoas mais próximas de mim e só compartilhar pra todos mesmo quando estiver prestes a se concretizar, pois acho que assim as chances de dar errado são menores (sei que pode parecer a maior bobagem do mundo, mas, por incrível que pareça, tem funcionado! Haha). Porém, como a minha ida à Bienal do Livro de São Paulo já está mais do que certa (<3), vamos falar sobre ela!

Eu já embarco pra São Paulo hoje, dentro de poucas horas na verdade (dia 25, quinta-feira), e fico por lá até o dia 05 de setembro (uma segunda-feira), logo terei exatamente 12 dias pra conhecer e aproveitar a terra da garoa! Durante essas quase duas semanas serei abrigado pela minha amiga Bruna (vocês já devem estar familiarizados com ela), que, como já mencionado aqui no blog anteriormente, divide lá um apê com o irmão, Heitor, no bairro de Higienópolis. A 24ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que se trata do principal motivo dessa viagem, acontecerá entre os dias 26 de agosto (uma sexta-feira) e 04 de setembro (um domingo), no Pavilhão de Exposições do Anhembi. E, apesar de que estarei na cidade durante todo o período da Bienal, não vou todos os dias, somente naqueles com a programação que mais for do meu interesse (que, no fim das contas, acaba sendo quase que todos os dias! Haha). Pra ser mais específico, vou nos dias 27, 28, 30 e 31 de agosto e 02, 03 e 04 de setembro (7 dias) e não vou nos dias 26 e 29 de agosto e 1º de setembro (3 dias). Mas é claro que nos dias que eu não estiver na Bienal irei me ocupar com alguma outra coisa, afinal tempo em viagem é algo que não podemos desperdiçar!

Apesar de que a programação de sessões de autógrafos e palestras vai ocupar a maior parte do meu tempo enquanto estiver em Sampa, também pretendo fazer outras coisas ao longo dessa viagem. Tô super empolgado pra conhecer pontos turísticos, como a Avenida Paulista, o Parque Ibirapuera, o Beco do Batman, e lugares próprios de lá, como a hamburgueria Zé do Hamburguer (uma das locações do clipe de Deixa Ele Sofrer, da Anitta) e a sorveteria Ben & Jerry’s; Matar a saudade dos shows do Tiago Iorc com um show dele na Festa Pardieiro, que acontecerá na próxima sexta-feira (dia 26), no Espaço das Américas (uma das casas de show mais importantes da cidade), no qual irei com Brunão; E, por falar nela, passar um tempo com ela e acompanhar de perto um pouquinho da sua rotina (que é algo que eu adoro acompanhar pelo Snapchat, rs); Conhecer pessoas legais, sobretudo na Bienal, pra poder compartilhar os momentos que irão acontecer por lá; Ligar e dar match nos apps de pegação, hehe…

E, obviamente, eu não poderia viver uma experiência incrível como essa sem transformá-la em conteúdo pro blog e compartilhar todos os detalhes com vocês, não é mesmo? Ainda hoje e amanhã (quinta e sexta-feira) teremos mais dois posts relacionados a minha viagem pra São Paulo e no final de semana teremos uma programação especial de aniversário, pois, simmm, no domingo (dia 28) esse menino de luz que vos fala completa 19 aninhos de vida! 0/ Já os posts sobre a Bienal e todas as outras coisas legais que eu viver em São Paulo e achar interessante trazer pra cá vocês poderão conferir ao longo das próximas duas semanas. Além dos posts, também pretendo registrar as partes mais legais dessa viagem em vídeo, não vlog (ainda não tô preparado pra isso, rs!), mas sim uma série de Document Your Life, aquela compilação de vídeos curtinhos com uma trilha sonora de fundo que os youtubers geralmente usam pra documentar o que rolou de mais legal no mês. O que vocês acham da ideia? De uma coisa vocês podem ter certeza: o que não vai faltar ao longo desse período que estarei em Sampa é conteúdo legal aqui no blog (juro juradinho)!

Por fim, pra este post não ter apenas este aspecto mais pessoal, decidi fazer uma seleção com os livros mais legais que serão lançados nessa edição da Bienal do Livro. É claro que ao longo dos 10 dias de evento uma infinidade de livros vão ser lançados (e autografados), mas eu escolhi os que mais me interessaram e que de fato pretendo comprar (e ler). Vamos lá? 0/

Sonata em Punk Rock – Babi Dewet

Foto: Reprodução/Babi Dewet.

Foto: Reprodução/Babi Dewet.

O Som dos Sentimentos, que é o título do conto escrito pela Babi na compilação Um Ano Inesquecível (que também traz contos de Thalita Rebouças, Paula Pimenta e Bruna Vieira) foi a primeira coisa que li da autora e já me encantei por sua escrita logo de cara. Obviamente isso não aconteceu apenas comigo, já que o sucesso não apenas do conto como do livro inteiro em si foi instantâneo, o colocando nas principais listas de mais vendidos do país por semanas consecutivas e introduzindo Babi ao time de autores da Editora Gutenberg (editora responsável pelo lançamento de UAI). Logo após o projeto e sua calorosa aceitação do público, mais ou menos em meados do segundo semestre do ano passado, Babi oficializou sua entrada na editora e anunciou que lançaria em breve uma nova série de livros com temática musical, sendo a princípio três livros e cada um com histórias e personagens diferentes. Eis que esse ” em breve ” chegou e o primeiro volume da série Cidade da Música, intitulado de Sonata em Punk Rock, será lançado oficialmente nessa edição da Bienal do LivroSonata em Punk Rock gira em torno de Valentina Gontcharov ou Tim, como prefere ser chamada, que após ser aceita no conservatório de música mais famoso do país, o lugar capaz de realizar todos os seus sonhos, terá que superar seus medos e inseguranças e provar a si mesma do que é capaz. É também na Cidade da Música onde a garota conhece o arrogante e talentoso Kim (um coreano lindo e famoso!), que absolutamente não passará despercebido nessa história. Cidade da Música não é a primeira série com temática musical escrita por Babi, ela também já escreveu Sábado à Noite, que teve três volumes lançados pela Editora Generale.

Babi Dewet na Bienal do Livro de São Paulo

No dia 30/08 (terça-feira), às 19h, Babi estará na Arena Cultural BNDES em um bate-papo e sessão de autógrafos referente ao livro Um Ano Inesquecível juntamente das outras autoras, Thalita Rebouças, Paula Pimenta e Bruna Vieira (saiba mais sobre o evento clicando aqui). E nos dias 28/08 (domingo), às 17h, no estande do Grupo Autêntica e 04/09 (domingo), às 14h, no estande da Livraria Saraiva, Babi estará lançando e autografando o livro Sonata em Punk Rock, o primeiro volume da série Cidade da Música (saiba mais sobre o evento clicando aqui).

O Mundo de Dentro – Bruna Vieira em quadrinhos volume 2 – Bruna Vieira e Lu Cafaggi

Foto: Reprodução/Babi Dewet.

Foto: Reprodução/Babi Dewet.

Após o sucesso da parceria entre a autora Bruna Vieira e a ilustradora Lu Cafaggi na HQ Quando Tudo Começou – Bruna Vieira em quadrinhos, lançada na mais recente edição da Bienal do Livro Rio pela Editora Nemo, a dupla está de volta com a continuação O Mundo de Dentro – Bruna Vieira em quadrinhos volume 2. Dessa vez, apesar de permanecer retratando a ausência de muitos amigos na infância e pré-adolescência de Bruna, a HQ terá foco em uma festa, a primeira festa da turma da nova escola de Bruna. O mais legal da sinopse do livro é que a mesma revela que cada capítulo dessa HQ será narrado sob o ponto de vista de cada um dos personagens da história, revelando assim ainda mais detalhes sobre a tal festa, que acabou trazendo para Bruna uma grande surpresa. Eu simplesmente amei o primeiro volume de Bruna Vieira em quadrinhos, achei de uma delicadeza sem fim, mas confesso que gostaria de ter lido mais história, já que o foco do livro foram as ilustrações mescladas com diálogos curtinhos. Então a minha única ressalva para O Mundo de Dentro – Bruna Vieira em quadrinhos volume 2 é que invistam em diálogos mais longos e conexos.

Bruna Vieira e Lu Cafaggi na Bienal do Livro de São Paulo

Assim como Babi Dewet, no dia 30/08 (terça-feira), às 19h, Bruna estará na Arena Cultural BNDES em um bate-papo e sessão de autógrafos em prol do livro Um Ano Inesquecível juntamente de Thalita Rebouças e Paula Pimenta, que também fazem parte do projeto (saiba mais sobre o evento clicando aqui). E no dia 04/09 (domingo), último dia de Bienal, às 17h, Bruna e Lu estarão no estande do Grupo Autêntica para lançamento e sessão de autógrafos da HQ O Mundo de Dentro – Bruna Vieira em quadrinhos volume 2 (saiba mais sobre o evento clicando aqui).

Boa Noite – Pam Gonçalves

Foto: Reprodução/Babi Dewet.

Foto: Reprodução/Babi Dewet.

Em junho desse ano, a booktuber Pam Gonçalves fez sua estreia como autora com a compilação de contos O Amor Nos Tempos de #Likes, que também traz contos de Bel Rodrigues, Hugo Francioni e Pedro Pereira. E agora, na Bienal do Livro de São Paulo, Pam fará mais uma estreia no universo literário, dessa vez como autora solo, ao lançar o livro Boa Noite, publicado pela Editora Galera Record. Próximo Destino: Amor, que é como se chama o conto da autora em O Amor Nos Tempos de #Likes, é um amorzinho e super bem escrito e estruturado, logo estou bastante curioso pra ler um livro inteirinho só da Pam! Em Boa Noite, tudo o que Alina deseja é deixar pra trás os rótulos de boa aluna, boa filha, boa menina, que a acompanharam ao longo de todo o período do colégio. Com o início da faculdade e consequentemente de um novo momento na vida de Alina, ela decide se enturmar e começa a dar espaço pra festas, bebida e azaração, só que a garota está longe de saber a proporção da confusão que sua nova vida pode lhe colocar.

Pam Gonçalves na Bienal do Livro de São Paulo

No dia 31/08 (quarta-feira), às 19h, Pam participará de um bate-papo e sessão de autógrafos junto com a autora Carina Rissi na Arena Cultural BNDES (saiba mais sobre o evento clicando aqui). No dia 03/09 (sábado), às 13h, a autora estará no estande do Grupo Editorial Record para lançamento e sessão de autógrafos do livro Boa Noite (saiba mais sobre o evento clicando aqui). E, por fim, nos dias 03 e 04/09 (sábado e domingo, respectivamente), às 18h em ambos os dias, Pam estará no estande Edições SESC SP participando da palestra Laboratório Booktuber (saiba mais sobre o evento clicando aqui).

Muito Amor, Por Favor – Um Sentimento em Quatro Elementos – Arthur Aguiar, Frederico Elboni, Ique Carvalho e Matheus Rocha

Foto: Reprodução/Editora Sextante.

Foto: Reprodução/Editora Sextante.

Muito Amor, Por Favor – Um Sentimento em Quatro Elementos, publicado pela Editora Sextante, é sem nem pensar duas vezes um dos lançamentos literários mais interessantes dessa edição da Bienal do Livro. O livro, que é dividido em quatro partes – O Amor é ÁguaO Amor é ArO Amor é Fogo O Amor é Terra -, traz textos reflexivos sobre o amor, viver a dois e a natureza das relações em todos os seus aspectos. E é escrito por um quarteto de autores masculinos que arrisco em dizer que ninguém nunca imaginou como um quarteto: Arthur Aguiar, que escreve O Amor é Água; Frederico Elboni (Um Sorriso ou Dois – Para Mulheres Que Querem Mais), que escreve O Amor é Ar; Ique Carvalho (Faça Amor, Não Faça Jogo), que escreve O Amor é Fogo; e, por último, mas não menos importante, Matheus Rocha (No Meio do Caminho Tinha um Amor), que escreve O Amor é Terra. De uma coisa vocês podem ter certeza: o que não vai faltar nesse livro é (muuuito) sentimento!

Arthur Aguiar, Frederico Elboni, Ique Carvalho e Matheus Rocha na Bienal do Livro de São Paulo

No dia 02/09 (sexta-feira), às 14h, Arthur, Frederico, Ique e Matheus estarão na Arena Cultural BNDES para bate-papo e sessão de autógrafos referente ao livro Muito Amor, Por Favor – Um Sentimento em Quatro Elementos (saiba mais sobre o evento clicando aqui).

Outros lançamentos literários

Foto: Reprodução/Google.

Foto: Reprodução/Google.

 

E aí, o que vocês acharam da supernovidade compartilhada nesse post? Vocês vão em algum dos dias da Bienal? O que acharam da minha listinha com os lançamentos literários mais legais dessa edição do evento? Qual vocês estão mais curiosos pra ler? Eu quero saber de tudo nos comentários, combinado? Até o próximo post! 😉

Resumo mensal – #Julho2016

agosto 08, 2016

Aqui, nesta sessão fixa do blog, postarei um resumo com os principais acontecimentos do meu mês.

Eis que recentemente nos despedimos de mais um mês do ano, o que significa que chegou a hora de conferirmos mais um Resumo mensal deste maravilhoso blog! E, desta vez, com uma edição pra lá de especial, já que julho foi um dos meses mais incríveis de 2016 até então! Mês de férias, logo com a ausência de grandes preocupações quanto aos estudos, julho foi marcado por uma série de acontecimentos legais, como o encerramento de mais uma etapa deste longo processo que é aprender a dirigir, o vício por uma série maravilhosa que foi responsável por tomar muitas das minhas noites de sono, ter finalmente conhecido em pessoa uma das minhas blogueiras/youtubers/personalidades da internet favoritas em um evento inesquecível, ter feito um tour por alguns dos principais e mais bonitos pontos turísticos de Salvador com duas amigas especiais e mais, muito mais… Abaixo estão fragmentados em tópicos e parágrafos os acontecimentos mais legais e relevantes que marcaram a vida deste ser humaninho que vos fala aqui ao longo do mês de julho, venham comigo! 0/

Desenvolvimento e término das aulas práticas da autoescola + sessões com nova fonoaudióloga

Sem nem pensar duas vezes, o que mais ocupou o meu tempo e a minha mente ao longo do mês de julho foram as minhas aulas práticas da autoescola

Apesar de as primeiras aulas terem ocorrido no final de junho (tanto que falei sobre elas no Resumo mensal anterior publicado no blog, que, caso não tenham conferido, podem o fazer clicando aqui), a maioria delas aconteceu no decorrer de julho. Ao todo foram 25 aulas, incluindo 6 noturnas (obrigatórias), tendo sido a última no dia 28 (uma quinta-feira). Na realidade deveria ter acontecido no dia seguinte, mas pela primeira vez durante toda essa etapa surgiu uma oportunidade de dobrar a aula, então obviamente aproveitei e fiz logo a minha tão aguardada última aula, hehe!

Ao longo das aulas eu treinei e aprendi basicamente 3 coisas: um conjunto de técnicas básicas de direção, incluindo como posicionar o volante, como soltar o pé dos pedais, como mudar a marcha, etc, que é o que os instrutores chamam de ‘ rua ‘, já que são técnicas a serem utilizadas no dia-a-dia do condutor, meia embreagem e baliza.

Quanto às técnicas de ‘ rua ‘, eu não apresentei grandes dificuldades ao longo das aulas, apenas esquecia de coisas fundamentais de vez em quando, como soltar o pé da embreagem suavemente ou sinalizar com a seta, em função da minha desatenção, o que sempre fazia com que meu instrutor me alertasse.

Sobre a meia embreagem, tive bastante dificuldade pra conseguir equilibrar a embreagem no início dos treinos, acredito que por não estar entendendo ao certo o que eu estava fazendo mesmo, mas com o tempo fui pegando a prática e acabei tirando isso de letra.

E, quando o assunto é a famigerada baliza, no fim das contas descobri que ela nem é esse bicho de sete cabeças todo que as pessoas tanto falam… Claro, não é nada que se consiga fazer com os olhos fechados, mas também não é nada impossível de ser executado! Nos primeiros treinos eu simplesmente não conseguia fazer nada sem os comandos dados pelo meu instrutor, era extremamente dependente dele e sempre me batia com o sentido e a quantidade de giros que tinha que dar no volante pra conseguir resultar em uma boa baliza, mas também com a prática fui me aperfeiçoando mais nisso e acho que hoje consigo fazer uma baliza no mínimo razoável, hehe!

E, acreditem se quiser, mas o meu maior desafio ao longo das aulas nem foi a baliza e sim dirigir e estacionar o carro em meio a todo o caos do trânsito, juro! A tensão de acelerar e desacelerar o carro e trocar as marchas o tempo inteiro, sobretudo o medo de acabar encostando ou batendo mesmo no carro da frente, me deixava extremamente nervoso, inclusive tenho quase certeza que essa vai continuar sendo a pior parte pra mim durante o meu dia-a-dia como condutor!

E, por falar na minha sensação durante as aulas, claro que com o tempo fui ficando mais tranquilo e relaxado, mas eu nunca consegui me livrar por completo de toda a ansiedade, nervosismo e tensão que me acompanhavam todos os dias, em todas as aulas! Entretanto, com o decorrer delas, acredito que eu tenha evoluído muito e aprendido uma série de coisas, logo, apesar de extremamente desafiadora, foi uma experiência um tanto válida e é isso o que importa, não é mesmo?

Também gostei bastante da relação que criei com o meu instrutor, Daniel, que, apesar de ser exigente e cobrar bastante, tem um método de ensino muito bom e eficaz e sempre me estimulava ao enfatizar a minha melhora e dar o feedback do que eu precisava me atentar mais após o término de cada aula!

Algumas horas antes deste post ir ao ar, eu terei feito a minha prova prática, a última etapa de todo esse processo, que acontecerá na Praia de Ipitanga, relativamente próximo de onde eu moro. Assim que eu ficar sabendo do resultado, compartilho em alguma das minhas redes sociais com vocês e em breve subo aqui no blog um post contando T U D O sobre a minha experiência com a parte prática da autoescola (vocês já conferiram o post com mais detalhes da parte teórica? Caso não, confiram clicando neste link)! Podem aguardar! (;

Outra coisa que fez parte da minha rotina em julho foram as minhas sessões de fonoaudiologia com a minha nova fonoaudióloga, Ana Clara (que também já havia sido mencionada rapidamente no Resumo mensal de junho).

Fiquei bastante satisfeito por ter de fato comparecido às sessões em todas as quintas-feiras do mês (com exceção apenas da última, por motivos de ter dobrado a aula prática da auto-escola) e também adorei a metodologia que a Ana utiliza com seus pacientes, priorizando o discurso em si do que os exercícios mecânicos, mas sem deixá-los de fora.

Durante as nossas sessões de julho, o que eu mais fiz foi contar a ela um resumo das coisas mais legais e relevantes que aconteceram na minha semana (quase um Resumo mensal do blog falado, haha), com reformulação de algumas frases marcadas por disfluências mais acentuadas, além de exercícios mecânicos, trava-línguas e leitura.

Tenho a sensação de que essas sessões com ela foram realmente produtivas e que eu de fato consegui evoluir um pouquinho mais, o que é ótimo! Já quero as nossas próximas sessões, mesmo sabendo que serão as últimas! (: / ):

Viciando e ficando em dia com Pretty Little Liars + 4ª temporada de Orphan Black e mais séries…

Competindo com as minhas aulas práticas da autoescola, uma das outras coisas que mais preencheu os meus dias em julho foi uma série maravilhosa que acredito que todos vocês já conheçam e acompanham: Pretty Little Liars!

Esse é mais um assunto que também já havia sido incluso no Resumo mensal do último mês, porém quando o mesmo foi publicado eu ainda estava no início da 2ª temporada e, após incontáveis noites de sono perdidas no decorrer de julho, consegui ficar em dia com a série, que atualmente se encontra em sua 7ª e última temporada! #maratoneimeixxxmoesódeuspodemejulgar

Como eu já havia dito aqui anteriormente, PLL não me viciou instantaneamente como Gossip Girl, mas, ainda assim, fiquei viciado e enlouquecido pelos próximos episódios logo no iniciozinho da trama!

Sem mais delongas, Pretty Little Liars gira em torno de um grupo de 5 amigas: Aria Montgomery (Lucy Hale), Hanna Marin (Ashley Benson), Emily Fields (Shay Mitchell), Spencer Hastings (Troian Bellisario) e Alison DiLaurentis (Sasha Pieterse). Após uma noite entre amigas um tanto incomum que termina com o misterioso desaparecimento de Alison (digamos que a ‘ abelha-rainha ‘ do quinteto) e a descoberta de seu suposto corpo um ano depois, as outras meninas do grupo começam a receber mensagens anônimas ameaçadoras de alguém que assina como -A.

Apesar de uma série de complicações marcar a vida de Aria, Hanna, Emily e Spencer, incluindo as suas vidas amorosas um tanto quanto turbulentas, as quatro amigas se unem e passam a compartilhar do mesmo objetivo: descobrir a verdadeira identidade de -A e parar com toda a perseguição que elas vêm sofrendo. A partir daí ocorrem vááárias coisas surpreendentes e inacreditáveis, uma verdadeira sequência de tiros!

E o engraçado é que eu não conheço uma pessoa que assista ou tenha assistido à série que não tenha dito que a mesma se torna cansativa e até mesmo massante no meio do caminho, opinião da qual felizmente não compartilho, pelo contrário, eu achei que a trama consegue ficar ainda mais instigante com o avanço das temporadas!

É óbvio que alguns aspectos da incessante busca pela real identidade de -A geram revolta, mas ainda assim é maravilhoso e você simplesmente não consegue parar de assistir (pelo menos foi o que aconteceu comigo)!

Apesar de os últimos episódios das temporadas serem chocantes e babadeiros (e também revoltantes, já que quase sempre nos enganam com a identidade de uma falsa -A), os melhores episódios na minha opinião são os de Halloween (e o de Natal também), já que nesses o suspense gostosinho presente em toda a série fica ainda mais evidente! Sem contar a maravilhosidade que são as aberturas temáticas feitas especialmente pra esses episódios!

Quanto aos meus favoritos da série… A minha personagem favorita é a Spencer (<3), já que é ela quem mais desbrava e descobre coisas relacionadas à -A e tudo que está por trás dela, além de ser extremamente inteligente e dona da beleza; a responsável pela maior parte dos alívios cômicos da trama é a Hanna, que apresenta falas carregadas de sinceridade e humor (ainda não consegui superar a cena em que ela tenta acompanhar a Emily nos passos de dança, cliquem aqui caso queiram assistir); a minha vilã predileta é a Mona (Janel Parrish), que também é super inteligente e dona de umas sacadas maravilhosas; e o meu otp da série é Haleb (Hanna e Caleb, esse vivido por Tyler Blackburn), que, sem dúvidas, é o casal mais amorzinho da série, apesar de eu também super shippar Ezria (Ezra, interpretado por Ian Harding, e Aria).

Já sobre a verdadeira identidade de -A, que F I N A L M E N T E é revelada no final da primeira metade da 6ª temporada, eu adorei e achei super bem explicada, se encaixou perfeitamente bem na trama! Mas, ao contrário do que muitos pensam, não, a revelação da real identidade de -A não é o fim de todo o mistério, não… Rola muito mais treta depois disso, hehe! Não se iludam!

Enfim, gostaria de dizer que fiquei super feliz por ter conseguido ficar em dia com PLL em pouco mais de um mês (!), que eu mal posso esperar pelos próximos episódios e que, caso vocês não assistam, deveriam começar a fazer isso agora mesmo, porque, sério, é maravilhoso! <3

Pra quem se interessou pela série, as cinco primeiras temporadas de PLL estão disponíveis na Netflix, já a 6ª e a 7ª podem ser assistidas clicando aquiaqui ou aqui. De nada! (;

E, aproveitando que o que está em pauta no momento são séries, também em julho assisti a 4ª temporada completa de Orphan Black, liberada pela Netflix no dia 15 (uma sexta-feira), ficando assim em dia com a série!

Assisti aos 10 episódios que compõem a temporada no mesmo dia em que foram ao ar e, mano, que temporada M A R A V I L H O S A, eu simplesmente não consegui parar de assistir até terminar! Que série mais viciante de meu Deus!

Dessa vez Sarah, Cosima, Alison e todas as outras do clone club (vividas pela inacreditável Tatiana Maslany) estão muito mais próximas da grande descoberta do que está por trás de toda a clonagem a qual foram submetidas – e estão com muito mais sangue nos olhos também! Enquanto isso, Felix (Jordan Gavaris), decide ir em busca de sua verdadeira família…

Os últimos momentos da season finale são de cortar o coração, principalmente pelo estado de saúde da Cosima, mas a temporada em si é incrível e já estou ansioso pela próxima, que será a 5ª e última da série! #todoschoram

Ainda falando sobre séries assistidas no último mês, decidi assistir a série mais bombada do momento, Stranger Things, a nova série original da Netflix! Desde meados do mês, quando a série estreou, que eu vinha lendo uma chuva de comentários positivos sobre a mesma nas redes sociais, logo eu precisava começar a assistir!

Juro que tentei levar essa série com calma, assistindo apenas a um episódio por dia (já que são apenas 8), mas, quem disse que consegui? Deixei logo de lado as minhas pretensões de não maratonar e terminei essa série maravilhosa!

Stranger Things se passa na década de 1980 e fala sobre o desaparecimento de Will Byers (Noah Schnapp), garoto de 12 anos, e todas as ocorrências incomuns registradas após o sumiço do menino.

O enfoque da série é a incansável busca por Will por seus fiéis e autênticos amigos Mike Wheeler (Finn Wolfhard), Dustin Henderson (Gaten Matarazzo) – que, aliás, é quem traz os alívios cômicos à trama, e Lucas Sinclair (Caleb McLaughlin), a gradual descoberta da origem dos superpoderes de Eleven (Millie Bobby Brown) – que é, de longe, a minha personagem favorita da série (<3), sua relação com o grupo de amigos e contribuição com a revelação do paradeiro de Will, os métodos nada convencionais que Joyce Byers (Winona Ryder), mãe de Will, tenta para se comunicar com o filho e a tentativa de Jonathan Byers (Charlie Heaton), irmão de Will, e Nancy Wheeler (Natalia Dyer), irmã de Mike, de desvendarem o desaparecimento de Will por conta própria.

Apesar de vários outros aspectos da série que merecem ser comentados, deixo aqui a minha admiração pela atuação foda da Winona Ryder nessa trama!

Eu, que não sou muito fã de séries fantasiosas, amei Stranger Things e acho que vocês deviam se permitir amar também, rs (se é que vocês já não o fizeram e estão apaixonados assim como eu)! Pra quem ainda não assistiu e está à procura de um estímulo a mais pra começar, que tal este maravilhoso vídeo promocional da rainha Xuxa divulgando a série, haha? Vocês P R E C I S A M assistir isso! Só de lembrar que a 2ª temporada, apesar de já confirmada, ainda nem tem uma previsão de estreia, parte o meu coração em mil pedacinhos… </3

E, finalmente encerrando a temática ‘ séries em julho ‘, no decorrer do último mês continuei acompanhando a 2ª temporada de Scream e preciso dizer que a cada episódio fico um pouco mais ensandecido por essa série!

Infelizmente faltam somente mais dois episódios para o término dessa temporadaCriaturas celestiais, que estará disponível na Netflix no dia 10 de agosto, e Chamada de: Desconhecido, a tão aguardada season finale, que irá ao ar no dia 17 de agosto!

Apesar de estar amando essa temporada e não querer que ela acabe logo, estou suuuper ansioso para F I N A L M E N T E descobrir quem é o killer da vez! Eli e Kieran são os meus principais suspeitos no momento e o de vocês (pra quem assiste a série)? Vamos aguardar os próximos episódios dessa série maravilhosa! <3

 E, ah, fiquem ligados no blog porque em breve pretendo subir um post com as resenhas completas dessas séries por aqui! Estamos combinados? Estamos, sim! 0/

Evento com Karol Pinheiro (yaaay!!!)

Um dos momentos mais especiais e memoráveis do mês, do ano, da vida (!) foi o acontecimento do meu tão aguardado e sonhado encontro com a Karol Pinheiro, que, como vocês já estão cansados de saber, é uma das minhas blogueiras/youtubers/personalidades da internet favoritas!

A Karol, que além de blogueira e youtuber, também é jornalista (mais um motivo pra amar), esteve em Salvador pela primeira vez para lançar e autografar o seu livro de estreia, As Coisas Mais Legais do Mundo, na livraria Saraiva do Shopping da Bahia, no dia 02 (um sábado).

Quando fiquei sabendo que aconteceria o evento – que fez parte do tour de autógrafos do livro pelo Brasil, mais ou menos duas semanas antes do evento em si, eu surtei, fiquei com o coração acelerado e quase chorei de tanta emoção e felicidade, juro! <3

Caramba, eu conheço o trabalho da Karol desde a época que ela fazia o quadro Karol com K no site da revista CAPRICHO (onde inclusive trabalhou por 7 anos), lá em 2011, 2012 e a acompanho assiduamente há pouco mais de dois anos, então eu já nutria esse sonho de conhecê-la pessoalmente há muito tempo dentro de mim! E, mais de um mês depois, ainda nem consigo acreditar que finalmente rolou! E foi lindo! Demais!

Não conseguir dormir de tanta ansiedade, sair de casa com o dia ainda amanhecendo e passar horas dentro de um shopping foram um ‘ nada ‘ comparado ao que eu senti aqui dentro ao ver esse ser humaninho maravilhoso da internet com meus próprios olhos!

Karol foi um amorzinho de pessoa comigo, autografou meu livro, fizemos selfies, demos um abraço apertado, entreguei uma cartinha cheia de amor e carinho e ela ainda elogiou o fato de eu ter uma capinha personalizada com a identidade visual do meu blog! Amô demais por essa mulher, sério! <3

E, de quebra, ainda conheci a Maqui (a pessoa, não a marca de maquiagem, como diz a Karol, haha), a parceria maravilhosa da Karol no blog, no canal de YouTube e em praticamente todos os outros projetos nos quais a Karol se envolve! As duas formam uma das duplas mais maravilhosas e fiéis que eu já vi! Seria o meu sonho ter uma Maqui na minha vida? Seria, sim! Haha!

Sigo tentando superar esse dia e esse evento, porque, não é brincadeira, não, que tiro no meu coração (de amor, é claro)! <3 E ter dividido esse momento lindo com as migas da facul Camila, Isabela e Karol (sim, também tenho uma miga que se chama Karol com K, hihi) tornou toda a coisa ainda mais especial! (:

Eu também falei um pouco sobre o evento em um post de 3 fotos que publiquei aqui no blog um dia após o meu encontro com a Karol, que, em caso de não terem conferido ainda, podem fazer isso clicando aqui! E, apesar de bem rapidinho, apareci no vlog que a Karol fez no lançamento aqui de Salvador (desafio vocês a me acharem! Se isso servir de ajuda, sou um pontinho embasbacado no meio da multidão no cantinho da tela, rs), vocês podem assistir clicando neste link!

Também está nos meus planos em breve subir aqui no blog um post com um compilado dos eventos literários que fui recentemente, incluindo o da Karol, então aguardem por isso também!

Tour pelo centro de Salvador cazamigas + surra de closes certíssimos

O último dia 27 (uma quarta-feira) também reservou a mim um dos momentos mais legais de julho, já que nesse dia eu e as migas Bruna e Luiza fizemos um tour por alguns dos principais e mais bonitos pontos turísticos do centro de Salvador e passamos praticamente o dia inteiro turistando na nossa própria cidade (digamos assim, rs) – e, claro, dando uma surra de closes certíssimos por aí, hehe!

Era pra ter sido um passeio do grupo Meias Zebras/Zebras Inteiras (formado por mim, Brunão e Carolivie), mas, como Carol deu pra trás de última hora (ultimamente ela aparenta ter sido infectada pela síndrome do ranço), eu e Bruna decidimos chamar Luiza – e foi maravilhoso!

O nosso roteiro foi assim, em ordem: Farol da Barra, A Casa do Rio Vermelho (também conhecida como Casa de Jorge Amado e Zélia Gattai), Palacete das Artes e Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM). Esse roteiro (maravilhoso, diga-se de passagem) foi criado por mim e por Bruna, que juntamos algumas de nossas ideias para o nosso tour e acabou dando nisso…

Eu simplesmente amei ter visitado todos os pontos, inclusive os três últimos eu nunca havia visitado antes, porém o momento mais especial do dia aconteceu mesmo no Farol da Barra! Eu já havia estado lá algumas outras vezes antes, porém, em todas essas vezes, o acesso ao topo do farol nunca estava liberado – e dessa vez estava!!! E é óbvio que nós aproveitamos a deixa e subimos, bem lyndos, haha! A visão periférica que se tem lá de cima é algo realmente inacreditável, lindo demais! Esse foi, sem nem pensar duas vezes, o momento mais especial do nosso dia! <3

Logo logo subirei aqui no blog um post de Saída fotográfica apenas sobre os pontos visitados nesse nosso tour, recheado de informações legais e fotos bem modeletes e conceituais (algumas já podem ser vistas no meu feed do Instagram, inclusive), ok? Ok! Então fiquem de olho!

Villa Mix Salvador 2016 + reencontrando os migos do ensino médio

Apesar de música sertaneja não fazer muito o meu estilo, o Villa Mix Salvador 2016 também foi um dos acontecimentos mais legais do meu mês de julho, não pelo festival em si, mas pela companhia.

Assisti aos shows, que rolaram na noite do dia 23 (um sábado), acompanhado das migas Bruna, Carol (Meias Zebras/Zebras Inteiras) e Ana Carolina, que também estudou com a gente ao longo de todo o ensino médio e que eu adoro (ela é muito amorzinho, rs).

As atrações não foram as melhores, em ordem: Aviões do Forró, Simone e Simaria, Jorge & Mateus e Matheus e Kauan. Também rolaram outros shows, de Jefferson Moraes e Seu Maxixe, que não assistimos por termos chegado depois, e de Jonas Esticado, que também deixamos de assistir por termos ido embora antes.

Apesar de ter curtido um pouquinho todos os shows, o único que realmente foi do meu interesse foi o de Jorge & Mateus, que é a única dupla sertaneja que eu realmente admiro e paro pra ouvir. Amo algumas das músicas deles, principalmente Logo EuA Hora é AgoraCalmaNocaute31 de dezembro. Inclusive eu comecei a me interessar pelo som deles também no Villa Mix, na edição de 2014, na qual também marquei presença.

Dessa vez o show deles foi ainda melhor, sobretudo porque eu sabia cantar as músicas que eu curto, hehe! Além de curtir algumas músicas, também admiro bastante o carinho que a dupla tem com os fãs, eles são realmente uns amores com o público!

Eu simplesmente amei ter ouvido novamente ao vivo as minhas músicas favoritas deles, mas o mais legal mesmo foi ter curtido o festival com as meninas, já que fazia bastante tempo desde o último show que fomos juntos, no caso, Maroon 5, em março desse ano. #voltaadam

No mesmo final de semana do Villa Mix, no dia 22 (uma sexta-feira), pra ser mais exato, aconteceu outra coisa legal: a comemoração do aniversário de 18 anos da miga Catarina.

Além de ter sido super legal ter presenciado esse ser humaninho alcançar a maioridade apesar de, assim como eu, ter tamanho de 12, rs, foi ainda mais legal ter reencontrado os migos e migas do ensino médio, sendo que a maioria deles eu não via desde a nossa formatura, que aconteceu em dezembro do ano passado.

Foi bem bacana tê-los reencontrado e visto que a maioria deles se encontrou de alguma forma em alguma coisa. Eu já disse que amo reencontros assim, não já? <3

Se aventurando em um DIY de garrafa glitterizada

Se tem uma coisa que eu acho o máximo e super quero trazer aqui pro blog com uma determinada frequência é DIY, sigla de Do It Yourself, que, em português significa ‘ Faça Você Mesmo ‘ e que, sim, é uma das categorias do blog (!), porém ainda sem posts…

O fato é que em meados do mês de julho, minha miga Bruna, que também adora uma customização, rs, me marcou em um vídeo de DIY de glitter jars, que recebeu por mim uma tradução livre de garrafa glitterizada (bem livre mesmo, haha) e eu simplesmente amei e fiquei super animado pra me aventurar a fazer igual (ou ao menos parecido)! O vídeo foi publicado pela página Nailed It e vocês podem assistir clicando aqui (o vídeo é bem rapidinho, tem apenas 33 segundos)!

Então eu, Bruna e Carol (mais uma vez uma Meias Zebras/Zebras Inteiras reunion, haha) concordamos em tentar fazermos nossas próprias garrafas glitterizadas e nos reunimos aqui em casa na noite do último dia 26 (uma terça-feira) pra isso…

Seguimos o passo-a-passo do vídeo linkado acima, mas o resultado obtido através do nosso experimento acabou não sendo o mesmo (muito provavelmente porque fizemos algo errado), mas não nos demos por vencidos, procuramos outros vídeos, adicionamos outras coisas ao nosso DIY e, depois de umas 48628951 tentativas e de termos colocado a cozinha da minha casa de cabeça pra baixo (isso sem mencionar a parte em que nos manchamos de violeta genciana), chegamos a um resultado completamente diferente da ideia original, mas que nos agradou. #amém Ficou algo bem galáxia e chegay, haha!

Pretendo repetir o mesmo DIY, já que tenho o material completo aqui em casa ainda, mas dessa vez seguindo mais rigorosamente o passo-a-passo, pra poder obter um resultado melhor e trazê-lo aqui pro blog como o nosso primeiríssimo post de DIY! Vocês curtem a ideia?

Comprinhas do mês + melhores filmes assistidos, músicas ouvidas…

Ao longo do mês de julho não fiz muitas compras, mas comprei 3 coisas que eu já estava querendo há muuuito tempo: os livros Garota Online em Turnê, da Zoe Sugg (mais conhecida como Zoella), da Verus Editora e Traços, do Eduardo Cilto, da Editora Outro Planeta (saibam mais sobre os livros clicando no link deste post) e o álbum Last Year Was Complicated, do Nick Jonas (saibam mais sobre o álbum clicando no link deste post).

Eu ainda não li os livros, apesar de pretender lê-los muito em breve (ambos estão no topo da minha prioridade de leituras), porém o álbum já ouvi, milhões de vezes inclusive (no Spotify), mas não exatamente da forma como eu gostaria, colocando o disco em algum player e acompanhando a letra de cada música, o que também pretendo fazer logo logo!

E, por falar em música, apesar de o meu vício pelos mais recentes álbuns do Nick e da Fifth Harmony (amo Gonna Get BetterWrite On MeAll In My Head (Flex), entre outras) ter permanecido, também ouvi bastante as músicas novas da Regina Spektor, Bleeding Heart (ouçam aqui), da Maite Perroni, Adicta (assistam ao clipe aqui), da Lexa, Se Eu Mandar (assistam ao clipe aqui) e, obviamente, ao lacre mais recente da minha menina Anitta em parceria com o cantor colombiano Maluma, Sim ou Não (assistam ao clipe aqui), já quero performar esse hit nos shows, haha! 0/

E, por fim, quando o assunto é filmes, em julho fui ao cinema apenas uma única vez (!), que foi pra assistir Procurando Dory, a tão aguardada continuação de Procurando Nemo (contei mais sobre o que eu achei do filme em um post de 3 fotos já linkado acima, no parágrafo sobre o evento da Karol Pinheiro).

Já na Netflix devo ter assistido a mais de um, mas o único que me vem em mente agora é The Fundamentals of Caring, filme original da Netflix adicionado recentemente ao catálogo deles.

Confesso que o que me fez assistir ao filme foi a presença da Selena Gomez no elenco, porém, apesar de ela nem brilhar tanto assim nesse filme (minha opinião), eu acabei gostando da história.

Achei a trama em si bem Intocáveis Como Eu Era Antes de Você vibes. O filme gira em torno de Trevor (Craig Roberts), jovem de 18 anos que, apesar de ter distrofia muscular e viver sobre uma cadeira de rodas, não abandona de jeito nenhum o bom humor. Entretanto, sua vida ganha uma perspectiva completamente diferente quando Ben (Paul Rudd) passa a ser seu cuidador e o leva a uma viagem repleta de aventuras, ocasião na qual eles conhecem Dot (Selena Gomez). O filme pode até ter uma pegada meio Sessão da Tarde, mas eu achei muito fofíneo e recomendo, rs! (:

 

E aí, o que vocês acharam do Resumo mensal de julho? Curtiram esse novo formato do post, com tópicos e parágrafos fragmentados? Qual foi o acontecimento mais legal do meu mês na opinião de vocês? O que vocês mais gostaram de acompanhar? Eu quero saber de tudo, hein? Então é só me contar abaixo nos comentários que com certeza irei ler e responder! E até o Resumo mensal de agosto, mês do meu aniversário e, se Deus quiser, de muitas coisas boas! Beijos de luz! 😉

Saída fotográfica: Pelourinho/Salvador

julho 18, 2016

Eu mal posso acreditar que finalmente estou escrevendo este post, o qual eu já havia prometido subir aqui no blog há muuuito tempo, mas, como nada se pode procrastinar pra sempre, vamos falar mais detalhadamente sobre a minha saída fotográfica para o Pelourinho, que aconteceu no dia 14 de maio (um sábado), isso mesmo, produção, há mais de dois meses atrás! O.O

A minha mais recente visita ao Pelourinho, que se trata de um dos principais senão o principal ponto turístico de Salvador, que é a que está em pauta no momento, foi realizada com uma finalidade pedagógica (e não apenas a de turistar, hehe). No início do semestre letivo, na faculdade, a minha professora da disciplina Práticas Investigativas Interdisciplinares, Patricia, solicitou aos alunos da minha turma que fizéssemos uma pasta (uma espécie de coletânea de arquivos), contendo uma determinada quantidade de resenhas, resumos e fichamentos de livros e artigos sobre Comunicação, filmes cult estrangeiros e saídas culturais – como visita a museus, exposições, projetos sociais e tudo mais que estivesse dentro do perfil da pasta, sendo essa última atividade chamada de atividade plus. O prazo para entrega da pasta finalizada seria no final do semestre letivo.

Como o Pelô é recheado de museus e exposições legais, lá seria um lugar ideal para que visitássemos todos juntos, apesar de que acredito que cada um de nós tenha ido lá antes pelo menos uma vez na vida! A ideia era que visitássemos quatro dos principais museus distribuídos pelo Pelô, foram eles, em ordem de visita: Museu da Misericórdia, Palácio Rio Branco, Memorial das Baianas e Museu da Gastronomia Baiana.

O nosso roteiro começou logo no iniciozinho da manhã, ainda na faculdade, onde combinamos de nos encontrar. Lá tomamos café da manhã juntos, o que achei bem legal, e fomos pegar a van fretada que nos levaria ao nosso destino final. Assim como nos passeios de colégio, é nesse momento de locomoção de um lugar a outro em que acontecem as melhores resenhas, hehe! E, acreditem, resenhar é uma coisa que a minha turma sabe dar conta (e muito bem!)… Dentro de poucos minutos, lá estávamos nós no Pelourinho, onde a van fretada nos deixou e onde encontramos Mônica, guia turística da empresa Turismo & Afins, muito simpática e solícita, por sinal, que nos acompanharia pelo nosso tour.

A primeira parada do nosso tour aconteceu em frente ao monumento da Cruz Caída, localizado na Praça da Cruz Caída, onde Mônica aproveitou para se apresentar, explicar como funcionaria o nosso roteiro e falar um pouco mais sobre o processo de colonização de Salvador pelos europeus na antiguidade e como alguns dos pontos que visitaríamos a seguir serviram como palco pra todo esse processo.

Logo em seguida, visitamos os quatro museus mencionados anteriormente (falarei melhor sobre cada um deles abaixo), sendo que em todos eles fomos orientados e guiados pelos próprios guias desses locais, que também explicavam detalhadamente sobre as principais exposições dos museus, com Mônica ainda nos acompanhando. De determinados pontos de alguns desses museus, também era possível se ter uma visão periférica de outros pontos turísticos da cidade, como o Elevador Lacerda, o Mercado Modelo, a Baía de Todos Os Santos e o Forte de São Marcelo, que foi como presenciar com os olhos elementos da maioria dos cartões-postais de Salvador reunidos. <3

Tudo estava indo muito bem até que um outro guia turístico, cujo nome não me recordo agora, se juntou a nós mais ou menos na metade do nosso roteiro, durante a nossa passagem pelo Palácio Rio Branco (segundo museu que visitamos). Ele foi extremamente inconveniente e até mesmo desnecessário em alguns momentos e colocações, conduziu a situação como se estivesse lidando com pré-adolescentes de ensino fundamental em um passeio de colégio. Praticamente nos obrigava a prestar atenção no que explicava o tempo inteiro, chamava a nossa atenção por qualquer coisa e reclamava até se tirássemos uma simples foto, uma verdadeira pedra no nosso caminho! Isso tornou a nossa excursão um tanto quanto chata e massante, fazendo até com que quiséssemos finalizar as visitas antes do esperado, mas demos continuidade… :/

Esse mala nos restringiu tanto depois que se juntou a nós que destruiu até os meus planos de dar altos closes pelas ruas do Pelô, acabaram só rolando alguns, bem poucos… Mas, em compensação, consegui tirar uma série de fotos conceituais maravilhosas! #amém Muitas delas vocês já devem ter visto no meu feed do Instagram, onde eu postei as melhores, mas vocês também poderão ver as que eu já postei e outras ainda nesse post… Foto é o que não faltou nessa nossa saída fotográfica pelo Pelô!

De uma forma geral, a nossa saída fotográfica/rolê turístico pelo Pelourinho foi ótima e super válida! (; Apesar do aspecto negativo que foi o guia turístico sem noção que pegou o bonde andando, foi maravilhoso poder estar no Pelô novamente e dessa vez com meus migos e migas da faculdade, o que tornou toda a coisa ainda mais divertida! E, claro, também foi ótimo poder conhecer um pouquinho mais sobre a história dos museus, exposições e monumentos visitados!

Acabou que, no fim das contas, eu acabei nem entregando a minha pasta pronta para a professora, o que me fez perder direto em sua disciplina, do que me arrependo, é óbvio, mas somou a minha procrastinação de sempre com o meu desânimo em relação à faculdade e deu no que deu! :/ Porém, ainda assim, foi uma experiência que valeu a pena! Até porque eu simplesmente AMO ir ao Pelourinho, inclusive é lá onde sinto que realmente moro na Bahia, sabiam? Sempre que vou fico encantado em como as ruazinhas de pedra, as casinhas retrô coloridas, a diversidade das pessoas que por lá transitam representam tão bem a cultura de Salvador e da Bahia como um todo! <3 A seguir falarei mais sobre cada um dos quatro museus visitados e darei a vocês uma surra de fotos dessa minha mais recente saída fotográfica… Bora lá? 0/

Museu da Misericórdia

O atual centro cultural, nomeado de Museu da Misericórdia, um dos espaços culturais mais importantes da Bahia, está instalado onde era, na verdade, o hospital Santa Casa de Misericórdia.

Com ampla estrutura e uma fachada externa belíssima, o museu abriga uma série de pinturas, esculturas e objetos, de origem brasileira e portuguesa, a grande maioria exprimindo temas religiosos. As obras de arte encontradas no museu foram doações de benfeitores da igreja, que acreditavam que, ao fornecer as obras, se libertariam dos pecados que haviam cometido. Curioso, né?

E, sem dúvidas, a obra de arte de maior destaque do museu é a estátua da Misericórdia, localizada bem no centro do salão principal da instalação.

Entretanto, além das obras ligadas à arte sacra, também encontram-se expostos no museu artigos de luxo, entre eles aparelhos de jantar e lustres.

Uma das partes do museu que eu mais gostei de visitar foi a ala hospitalar. Foi bem legal ver todos aqueles frascos de remédio e aparelhos usados em procedimentos médicos sabendo que aquele lugar realmente já foi um hospital de verdade um dia.

Informações gerais sobre a visitação do museu:

O Museu da Misericórdia localiza-se na Rua da Misericórdia, 6 – Praça da Sé, Salvador – BA e seu horário de funcionamento é, de segunda à sexta, das 08h30 às 17h30 e sábado, das 09h às 17h. Para saber mais informações no site oficial do museu clique aqui.

Palácio Rio Branco

Localizado na Praça Tomé de Sousa, o Palácio Rio Branco trata-se da antiga sede do governo da Bahia e um dos mais antigos palácios do Brasil.

Construído inicialmente por Tomé de Sousa, primeiro governador geral do Brasil, em meados do século XVI, o espaço passou por uma série de reformas até chegar à configuração atual, uma delas em função de um bombardeio realizado na cidade de Salvador, a mandato do presidente da república da época, Hermes da Fonseca, deixando a maior parte do palácio devastada.

Apesar de ter sido idealizado para ser o centro da administração portuguesa, o palácio já apresentou várias funções, como quartel e prisão. Inclusive abrigou Dom Pedro II, em uma de suas visitas à Bahia.

Hoje em dia, o palácio, nomeado de Rio Branco como forma de homenagear Barão do Rio Branco, um dos maiores estadistas brasileiros, expõe vários pertences de governadores baianos, incluindo um salão apenas com quadros de pinturas desses governadores, um dos espaços de maior destaque do palácio.

Apesar de sua construção externa também ser bastante bonita, o que chama a atenção mesmo quanto à arquitetura do lugar é uma escadaria de ferro e cristal, de origem francesa, que dá acesso a um dos salões da instalação. Salão esse localizado em uma das áreas do palácio que, infelizmente, se encontra interditada.

Uma das exposições que mais gostei do palácio foi uma que mesclava fotos de pessoas reais com pintura, achei bem artístico.

Informações gerais sobre a visitação do museu:

O Palácio Rio Branco está situado na Ladeira da Praça, S/N – Centro, Salvador – BA e seu horário de funcionamento é, de terça à quinta, das 10h às 15h e sábado, das 13h30 às 17h.

Memorial das Baianas

Inaugurado em junho de 2009, o Memorial das Baianas está situado em paralelo à Praça da Cruz Caída, já mencionada anteriormente nesse mesmo post.

Também chamado de Memorial da Baiana de Acarajé, o espaço possui como objetivo expor e documentar a tradição e história das mulheres que faziam e comercializavam a mais famosa comida típica da Bahia, o acarajé. E esse objetivo é cumprido, pois, ao longo da exposição, encontramos vários adereços, artesanatos, instrumentos gastronômicos e muito mais objetos relacionados às baianas e ao acarajé.

Considerado Patrimônio Cultural do Brasil, o espaço, que é infinitamente menor do que os museus citados acima (e, para a alegria de todos, é climatizado!), é uma ótima oportunidade para conhecer mais sobre as baianas, essa marca tão importante na cultura da Bahia.

O que eu achei mais interessante ver no Memorial das Baianas foi a transição da produção do acarajé da antiguidade até os dias atuais. Antigamente, era preciso muito mais trabalho braçal e força mesmo do que hoje.

Informações gerais sobre a visitação do museu:

O Memorial das Baianas localiza-se na Praça da Cruz Caída, S/N – Centro, Salvador – BA. Não encontrei o horário de funcionamento disponível na internet, mas o telefone para contato é (71)33229674.

Museu da Gastronomia Baiana

Instalado bem no centro do Pelourinho, o Museu da Gastronomia Baiana foi inaugurado em agosto de 2006 pelo SENAC (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial) e possui como finalidade apresentar ao mundo a culinária tão peculiar característica da cultura baiana.

Ao longo da exposição, encontramos vários artefatos que remetam à culinária baiana como fotografias de grandes fotógrafos e maquetes que possuem como temática maneiras de comer, as festas de largo, as baianas de acarajé e a diversidade de comer na rua, na casa, na festa e em cerimônias religiosas como um todo, instrumentos de cozinha antigos, homenagens à personalidades que fizeram parte da construção da história da gastronomia baiana e muito mais.

Já a arquitetura do espaço é um show à parte! O salão de entrada do museu é revestido por Muralhas de Santa Catarina, o mais antigo e importante marco arqueológico de Salvador. Há também um cuidado maior com a iluminação do ambiente… É realmente um cenário bem bonito de se ver! Assim como o Memorial das Baianas, aqui a instalação também é pequena e o ambiente também é climatizado.

Gostei de saber um pouco mais sobre as especiarias baianas, algumas que inclusive eu nem sabia que existiam.

Informações gerais sobre a visitação do museu:

O Museu da Gastronomia Baiana está situado na Praça José de Alencar, 13/19 – Largo do Pelourinho, Salvador – BA e seu horário de funcionamento é de segunda à sábado, das 09h às 17h.

 

 

Informações importantes sobre os museus:

Achei importante relatar por meio deste que os museus mencionados acima, principalmente o Museu da Misericórdia e o Palácio Rio Branco, assim como o Monumento da Cruz Caída, estão com o seu estado de conservação um pouco decadentes, necessitando de reformas.

E o Pelourinho como um todo é um ponto um pouco perigoso de Salvador, onde ocorrem muitos assaltos. Inclusive eu mesmo presenciei um em frente ao Monumento da Cruz Caída, antes de eu e meus amigos da faculdade entrarmos no Memorial das Baianas. Logo se faz necessário um cuidado maior com os seus pertences, ok?

 

E aí, o que acharam da minha saída fotográfica pelo Pelourinho? Qual dos museus que eu visitei vocês mais acharam interessante e ficaram com vontade de visitar também? Já estiveram em algum deles? Quais outros pontos turísticos de Salvador vocês gostariam que eu visitasse e falasse sobre aqui no blog? Me contem tudo nos comentários! Eu vou adorar ler e responder! 😉

Tudo sobre o meu processo teórico na autoescola

julho 17, 2016
Foto: Reprodução/Kaboompics

Foto: Reprodução/Kaboompics.

Como eu já havia comentado aqui no blog antes, no iniciozinho do mês de abril, exatamente na mesma época do lançamento do blog, eu iniciei as minhas aulas teóricas na autoescola. Mas não, o início das aulas teóricas não é o primeiro passo desse looongo processo que é aprender a dirigir, algumas outras etapas iniciais antecedem isso, assim como também há as etapas sucessoras ainda como parte do processo teórico. Eu iniciei esse processo no início de março e o finalizei no final de maio, durando aproximadamente dois meses e meio (incluindo imprevistos). Como já concluí todas as etapas desse processo e inclusive já estou na metade do processo prático, decidi trazer o assunto para o blog explicando esse primeiro processo dividido em tópicos, para que fique algo mais organizado e compreensível. E, ah, levando em consideração que esse post está indo ao ar muito mais tarde do que eu havia imaginado, talvez eu deixe de fora alguns detalhes, mas vamos lá…

1ª etapa: Ida ao RETRAN para cadastro, apresentação de documentos e compra do laudo

Ir ao RETRAN (ou ao órgão que represente o DETRAN do seu município) para cadastro e apresentação de documentos é a etapa que dá start ao, como eu disse antes, longo processo que é tirar a carteira de habilitação, também conhecida como CNH. No meu caso, essa parte burocrática inicial foi feita no RETRAN de Lauro de Freitas, que é a representação do DETRAN no município onde eu moro. É lá onde se resolve toda a parte de documentação de veículos.

Para dar início ao processo, é necessário levar um documento de identificação, CPF e comprovante de residência ou domicílio (original e cópia de todos esses documentos). Logo em seguida será preenchido um formulário com mais informações pessoais e ocorrerá o encaminhamento para o banco, onde terá que ser paga uma taxa referente aos serviços feitos, mais conhecida como laudo (cujo valor estimado é de R$158).

É também nessa etapa que haverá o encaminhamento para a clínica onde serão realizados o exame médico e o psicoteste. Eu passei por toda essa parte burocrática no início de março e foi uma etapa bem rápida de se resolver. Para saber mais sobre essa parte burocrática e documentação é só clicar nesse link (lembrando que esse link é referente ao processo feito aqui no estado da Bahia, eu não sei dizer se há alterações entre os estados, portanto se faz necessária a visita ao site do DETRAN referente ao estado onde se resida).

2ª etapa: Exame médico e psicoteste

Esta etapa foi realizada pouco tempo depois da etapa anterior, em meados do mês de março. Consistiu basicamente em ir à clínica indicada pelo RETRAN para a realização do exame médico e psicoteste, que irão definir a aptidão para dirigir e dar início às aulas teóricas na autoescola ou não.

Há também um valor cobrado para essa etapa do processo, referente ao exame médico e ao psicoteste, que é consideravelmente mais caro que a taxa da etapa anterior (o laudo), não me recordo a exatidão do valor agora, mas arrisco dizer uns R$350, em média. Pois é, nada barato todo esse processo, não é mesmo?

Na clínica, primeiramente é realizado o exame médico e depois o psicoteste, que é a parte mais demorada, pelo menos na minha experiência foi assim. Na ocasião, a mesma profissional que realizou o psicoteste também solicitou que eu preenchesse uma ficha com meus dados pessoais e respondendo a algumas perguntas e também quis conversar comigo individualmente com a mesma pauta das perguntas da ficha, quis saber sobre a minha personalidade, sobre o meu comportamento em casa e em outros ambientes, se eu bebo, fumo, faço uso de algum medicamento em específico, se na minha família há histórico de alcoolismo, etc.

O exame médico em si, que é feito individualmente, é bem rapidinho, basicamente tive que olhar dentro de uma máquina algumas letras e números e dizer quais eram e apertar uma espécie de alicate, muito provavelmente para avaliar minha capacidade visual e motora, respectivamente. A médica que me avaliou me deu o resultado de imediato, dando um ‘ ok ‘ pra que eu seguisse para o psicoteste.

Antes da aplicação desse, foi exibido um vídeo sobre simpatia e organização no trânsito (mas acho que isso não é um padrão, algo que acontece sempre, rs). Logo depois foi realizado o psicoteste, uma prova escrita dividida em etapas acompanhadas pela aplicadora da prova, que foi feita juntamente de outras pessoas. Eu não me lembro de todas as etapas em si, mas todas elas precisam ser feitas dentro de um determinado tempo estabelecido pela aplicadora da prova, variando entre 3 e 15 minutos, em média, a depender da complexidade da etapa.

Me lembro da mais complexa e demorada, realizada por último, ser uma mini prova com questões múltipla escolha sobre lógica (com muitas formas e figuras geométricas). Também me lembro de uma em que tínhamos que ligar os pares de figuras iguais em um mosaico. Uma outra pedia que nós riscássemos em ordem numérica crescente placas numeradas de 1 à 50 dispostas aleatoriamente em uma folha. E, claro, a clássica etapa de preencher uma folha em branco com uma série de pauzinhos, que precisavam seguir um padrão de comprimento, largura e espaçamento.

Achei as etapas bem tranquilas e fui bem nelas, logo fui aprovado também! O resultado do psicoteste não é dado na hora, é divulgado poucos dias depois em um endereço de site que eles dão após a finalização da prova.

3ª etapa: Aulas teóricas

Após aprovação no exame médico e no psicoteste, eu já tinha sinal verde pra me matricular na autoescola e iniciar as minhas aulas teóricas. E é o que foi feito, mas somente no início de abril, mais especificamente no dia 11 (uma segunda-feira), já que mesmo com a rápida divulgação online do resultado positivo do psicoteste, eu tinha uma viagem marcada para o Rio de Janeiro logo no iniciozinho do mês e não queria já iniciar e ter que interromper as minhas aulas teóricas enquanto estivesse viajando, portanto esperei voltar de viagem pra começar essa etapa.

No dia 11 de abril, de manhã, eu e minha mãe fomos fazer a minha matrícula na autoescola Villas, que fica bem pertinho da minha casa, sendo que o curso inteiro (incluindo as aulas teóricas, práticas e todas as outras atividades envolvendo a autoescola), referente à primeira habilitação da categoria B, saiu no custo de R$1.650 (!)!

No mesmo dia, à noite, eu voltei à autoescola já pra fazer a minha primeira aula teórica. Ao todo foram 9 aulas, que é a quantidade exigida pelo DETRAN, e eu escolhi a turma noturna por conta da faculdade ser no período da manhã, portanto a carga horária era de 18h às 21h45 (durando 03h45min), com intervalo de aproximadamente 15 à 20min por aula, de segunda à sexta.

No início as aulas eram um pouco massantes, não apenas pela carga horária pesada, mas também por não terem muitas atividades interativas além de tirar dúvidas com o professor. Era bastante difícil conseguir manter a atenção e a concentração durante todo o tempo da aula. Porém, com o passar das aulas, foi melhorando, já que o professor dividiu a turma em grupos e estabeleceu uma líder de sala, para que pudesse organizar e tomar frente das atividades propostas por ele. Basicamente respondíamos a questionários eletrônicos em grupo, conversávamos sobre nossas dúvidas em comum, as tirávamos com o professor… E sempre havia um intercâmbio entre os grupos, o que tornava toda a coisa ainda mais dinâmica. Cheguei a ser líder de um dos grupos uma vez inclusive!

O mais interessante era que a posição dos grupos nas atividades daquele dia determinavam a ordem de saída da sala no intervalo e no término da aula. Ou seja, além do intuito de aprender e ser aprovado na prova teórica, todos tinham como objetivo ir bem nas atividades pra ter vantagem na saída, hehe!

Uma parte chata desse processo das aulas é que ao chegar pra aula, ao descer pro intervalo e ao ir embora após o término da aula tínhamos que registrar as nossas digitais na recepção, o que era um saco, ainda mais pra mim, que tenho uma digital que de vez em nunca é reconhecida (!). Continuo sofrendo com isso agora nas aulas práticas… :/ Quando isso acontecia, ou seja, praticamente SEMPRE, a minha presença era registrada por foto (que é o que ainda acontece atualmente).

Durante as aulas, através das explicações do professor, de slides, de atividades em grupo e de uma apostila (que vergonhosamente não li até hoje, hihi!), aprendemos os assuntos: legislação, infrações e sinalização de trânsito, direção defensiva, primeiros socorros, cidadania, meio ambiente e mecânica básica. As aulas sobre legislação, infrações e sinalização são um tanto quanto chatinhas, já direção defensiva, primeiros socorros, cidadania e meio ambiente adorei aprender! Acho que faltou aprendermos mais a fundo mecânica básica, que foi deixada pelo professor literalmente para o final do curso, na segunda metade do último dia de aula! Tanto que estou sentindo falta disso agora durante as aulas práticas, mas, já foi…

De uma forma geral, eu gostei das aulas teóricas e também gostei bastante do meu professor, Valnei (não sei se é assim que escreve), que é um verdadeiro expert em trânsito, super solícito e, com bom humor, tornou as aulas bem mais leves e tranquilas. A relação criada entre os grupos e a turma como um todo foi bem legal também. No último dia de aula rolou até uma confraternização com comes e bebes (com direito à pizza da DaBox e tudo! Amo! <3)!

Das 9 aulas exigidas pelo DETRAN, fiz 8 no meu curso normal, já que em um dos dias acabei me atrasando e perdendo a aula. Foi uma dor de cabeça e tanto pra conseguir repor essa aula perdida, mas finalmente no dia 17 de maio (uma terça-feira) consegui encerrar oficialmente o meu curso teórico com a reposição da tal aula.

4ª etapa: Simulado

O simulado é uma espécie de treino para a prova teórica e, diferentemente dela, que é feita no RETRAN, ele é realizado na própria auto-escola. Felizmente consegui marcar o meu para um dia depois da reposição da aula teórica que eu havia perdido ao longo do meu curso normal, logo fiz o simulado no dia 18 de maio (uma quarta-feira).

Eu achei que fosse obter um rendimento bem ruim pelo fato de os assuntos aprendidos durante as aulas não estarem mais tão frescos na minha mente, já que do fim do meu curso normal até a reposição da aula que faltava pra cumprir a carga horária exigida pelo DETRAN se passaram muuuitos dias…

Mas, para a minha surpresa, obtive 70% de aproveitamento, que é o que deve ser obtido também na prova teórica, que é a que dita a aptidão para o início das aulas práticas ou não! Fiquei bem surpreso e feliz com o meu resultado! 0/

Sobre a estrutura do simulado, que é eletrônico e supervisionado pelo DETRAN através de uma câmera embutida no computador que filma o participante durante a prova, são 40 questões abrangendo todos os assuntos dados nas aulas em um tempo de 50 minutos. No meu simulado, pelo menos, caíram em peso os assuntos de direção defensiva, primeiros socorros, legislação e sinalização de trânsito, logo entendi o motivo de mecânica básica ser deixada um pouco de lado durante as aulas.

Achei as questões bem tranquilas, mas absolutamente nada de ridículas como algumas pessoas haviam me dito antes de eu poder fazer minhas próprias constatações! O legal é que junto ao resultado também foi mostrado a mim um índice com os assuntos que mais acertei e que mais errei, o que é um feedback bem legal ao participante! E, sim, o resultado do simulado sai de imediato!

5ª e última etapa: Prova teórica

Com o bom rendimento que obtive no simulado, acabei indo fazer a prova teórica sem grandes nervosismos, o que foi muito bom e eficaz. Fiz a prova, que se trata da etapa final do processo teórico, no dia 30 de maio (uma segunda-feira), no RETRAN (o mesmo local onde fui lá no iniciozinho do processo, na primeira etapa, de cadastro, apresentação de documentos e compra do laudo).

Foi necessário apenas apresentar alguns documentos e registrar a minha digital (que, mais uma vez, demorou de dar as caras…) para que eu pudesse iniciar a prova, que, seguindo os moldes do simulado feito anteriormente, era online, monitorada pelo DETRAN, com 40 questões e 50 minutos pra fazer. Os assuntos que caíram em mais e menos frequência também foram os mesmos do simulado, a única diferença é que achei o nível das questões da prova um pouquinho mais elevado.

Por sorte, consegui ser aprovado de raspão! Era preciso que eu acertasse 25 questões e acertei 26! Olha, se isso não foi sorte, eu realmente não sei o que foi, viu? HAHAHA O resultado também saiu de imediato e, estando euzinho aprovado, já estava apto para o início da outra metade do processo que é aprender a dirigir, a prática! 0/

 

E aí, qual das etapas do meu processo teórico na autoescola mais chamou a atenção de vocês? Vocês já passaram por isso? Ou estão prestes a passar? Tem alguma dúvida que talvez eu possa tirar? Compartilhem tudo comigo nos comentários que eu vou adorar ler e responder! E continuem ligados porque assim que eu terminar a parte prática, que já está em curso, faço um post sobre as etapas dela também, combinado? 😉

3 fotos: Comprinhas na Saraiva, batata rústica do McDonald’s e pug

julho 17, 2016

Aqui, nesta sessão fixa do blog, postarei os três acontecimentos destaques da minha semana através de três fotos referentes aos mesmos.

1 – Comprinhas na Saraiva:

 

Na última segunda-feira (dia 11), logo no iniciozinho da semana, transformei o dia mundial mais odiado da semana em um dia maravilhoso ao finalmente conseguir comprar duas coisas na Saraiva do Salvador Shopping que eu já estava querendo há muuuito tempo: o álbum Last Year Was Complicated, do Nick Jonas, lançado no dia 10 do mês passado e o livro Garota Online em Turnê, da Zoe Sugg (mais conhecida como Zoella), lançado no último dia 04. Apesar de ainda não ter ouvido o disco comprado e lido as letras das músicas que graças ao bom Deus vem no encarte (amo quando isso acontece!), já decorei boa parte das letras de todas as músicas porque simplesmente não paro de ouvir esse álbum no meu Spotify desde quando foi lançado, estou absolutamente viciado! Não foram poucas as vezes em que fui atrás desse bendito CD, mas finalmente consegui a minha cópia física em mãos e assim que eu apreciá-la com calma subirei aqui um post apenas com a resenha do álbum (sim, ele é digno disso!)! Amor demais por essa nova fase do menino Nicholas! <3 E quanto à demorada tradução brasileira de Girl Online on Tour, da Zoella, publicado pela Editora Verus no Brasil, mal posso esperar pra lê-lo e acompanhar o desenvolvimento do relacionamento de Penny e Noah! Espero que esse livro seja tão maravilhoso quanto o antecessor e me deixe uma pilha de ansiedade para ler o próximo, Girl Online Going Solo, que inclusive foi anunciado recentemente pela autora, com data de lançamento prevista para o próximo Dia das Bruxas (nos Estados Unidos) – confiram a capa do novo livro clicando aqui! Fiquem ligados porque Garota Online em Turnê é uma leitura que pretendo fazer ainda nesse mês, logo é provável que muito em breve tenhamos resenha do livro por aqui! 0/

2 – Batata rústica do McDonald’s:

 

Na mesma ida ao shopping do item anterior desse 3 fotos, decidi experimentar a nova batata rústica do McDonald’s e resultado: mal posso esperar pra comê-la novamente! Eu havia descoberto o lançamento dessa batata no cardápio do McDonald’s poucos dias antes pelo Facebook (alguma amiga minha conhece tão bem o meu amor por gordices que me marcou em um post sobre a batata, hehe) e logo tive a oportunidade de experimentar. Diferentemente da batata que o Mc lançou no ano passado em formato de Minions (na época da estreia do filme nos cinemas), cujo gosto na minha opinião é o mesmo da batata tradicional que eles oferecem, achei o gosto da batata rústica bastante diferente. É como se fosse uma batata assada só que muito, mas muito crocante e saborosa! E a porção ainda é bem servida! O McDonald’s arrasou demais nessa novidade, espero que fique no cardápio deles por tempo ilimitado ou ao menos por um looongo tempo! Sempre que eu for lá e pedir uma McOferta, vou substituir a batata tradicional pela rústica, já que não sou muito fã da tradicional (acho industrializada demais) e amei a rústica! Experimentem, vocês não vão se arrepender!

3 – Pug:

 

Esta pug graciosíssima da foto acima é a Lolah, também chamada de Menina, a cachorrinha de estimação da minha amiga Bruna (apesar de eu querer que fosse minha!)! Eu, Bruna e Carol realizamos mais um encontrinho maroto do nosso grupo Meias Zebras na casa de Bruna na última quinta-feira (dia 14) e lá estava Lolah, cheia de energia, como de costume, hehe! Apesar de que quem estava partindo o meu coração de saudades mesmo era Bruna, que, como eu já havia comentado aqui antes se mudou pra São Paulo (</3), também estava com saudades dessa cachorrinha! Eu não levo muito jeito pra brincar com ela e nem sei quando é a hora de parar de fazer carinho, mas mesmo assim adoro ela, assim como cachorros no geral. Mesmo não tendo muito sucesso com os bichinhos de estimação que eu já tive (nenhum deles foi cachorro), eu sempre quis ter um catioro, não só pra tirar uma foto com ele usando aquele filtro de orelhinhas do Snapchat, rs, mas pra cuidar mesmo… Mas, como diz minha mãe, como eu cuidaria de um bichinho que requer tanto cuidado se não cuido nem de mim? HAHAHA Sim, ela realmente diz isso! #sinceridades Espero poder um dia ter um catioro pra chamar de meu, mas enquanto isso não acontece tentamos resistir a essa carinha de ” brinca comigo? ” de Lolah… Me digam: ela não é uma gracinha? <3

 

E aí, gostaram do 3 fotos referente a essa semana? Qual dos três itens acima mais chamou a atenção de vocês? Por quê? Vocês vão aguardar pelas resenhas do álbum do Nick e do livro da Zoella? Já experimentaram a batata rústica do McDonald’s? Não acharam Lolah um amorzinho de pug? Me contem tudo nos comentários logo abaixo! Eu vou adorar saber! Até o 3 fotos da próxima semana! Beijos de luz! 😉

Navegue nas páginas1234567

Papo de Matheus • todos os direitos reservados © 2016 • powered by WordPress • Desenvolvido por