Saída fotográfica: Pelourinho/Salvador

julho 18, 2016

Eu mal posso acreditar que finalmente estou escrevendo este post, o qual eu já havia prometido subir aqui no blog há muuuito tempo, mas, como nada se pode procrastinar pra sempre, vamos falar mais detalhadamente sobre a minha saída fotográfica para o Pelourinho, que aconteceu no dia 14 de maio (um sábado), isso mesmo, produção, há mais de dois meses atrás! O.O

A minha mais recente visita ao Pelourinho, que se trata de um dos principais senão o principal ponto turístico de Salvador, que é a que está em pauta no momento, foi realizada com uma finalidade pedagógica (e não apenas a de turistar, hehe). No início do semestre letivo, na faculdade, a minha professora da disciplina Práticas Investigativas Interdisciplinares, Patricia, solicitou aos alunos da minha turma que fizéssemos uma pasta (uma espécie de coletânea de arquivos), contendo uma determinada quantidade de resenhas, resumos e fichamentos de livros e artigos sobre Comunicação, filmes cult estrangeiros e saídas culturais – como visita a museus, exposições, projetos sociais e tudo mais que estivesse dentro do perfil da pasta, sendo essa última atividade chamada de atividade plus. O prazo para entrega da pasta finalizada seria no final do semestre letivo.

Como o Pelô é recheado de museus e exposições legais, lá seria um lugar ideal para que visitássemos todos juntos, apesar de que acredito que cada um de nós tenha ido lá antes pelo menos uma vez na vida! A ideia era que visitássemos quatro dos principais museus distribuídos pelo Pelô, foram eles, em ordem de visita: Museu da Misericórdia, Palácio Rio Branco, Memorial das Baianas e Museu da Gastronomia Baiana.

O nosso roteiro começou logo no iniciozinho da manhã, ainda na faculdade, onde combinamos de nos encontrar. Lá tomamos café da manhã juntos, o que achei bem legal, e fomos pegar a van fretada que nos levaria ao nosso destino final. Assim como nos passeios de colégio, é nesse momento de locomoção de um lugar a outro em que acontecem as melhores resenhas, hehe! E, acreditem, resenhar é uma coisa que a minha turma sabe dar conta (e muito bem!)… Dentro de poucos minutos, lá estávamos nós no Pelourinho, onde a van fretada nos deixou e onde encontramos Mônica, guia turística da empresa Turismo & Afins, muito simpática e solícita, por sinal, que nos acompanharia pelo nosso tour.

A primeira parada do nosso tour aconteceu em frente ao monumento da Cruz Caída, localizado na Praça da Cruz Caída, onde Mônica aproveitou para se apresentar, explicar como funcionaria o nosso roteiro e falar um pouco mais sobre o processo de colonização de Salvador pelos europeus na antiguidade e como alguns dos pontos que visitaríamos a seguir serviram como palco pra todo esse processo.

Logo em seguida, visitamos os quatro museus mencionados anteriormente (falarei melhor sobre cada um deles abaixo), sendo que em todos eles fomos orientados e guiados pelos próprios guias desses locais, que também explicavam detalhadamente sobre as principais exposições dos museus, com Mônica ainda nos acompanhando. De determinados pontos de alguns desses museus, também era possível se ter uma visão periférica de outros pontos turísticos da cidade, como o Elevador Lacerda, o Mercado Modelo, a Baía de Todos Os Santos e o Forte de São Marcelo, que foi como presenciar com os olhos elementos da maioria dos cartões-postais de Salvador reunidos. <3

Tudo estava indo muito bem até que um outro guia turístico, cujo nome não me recordo agora, se juntou a nós mais ou menos na metade do nosso roteiro, durante a nossa passagem pelo Palácio Rio Branco (segundo museu que visitamos). Ele foi extremamente inconveniente e até mesmo desnecessário em alguns momentos e colocações, conduziu a situação como se estivesse lidando com pré-adolescentes de ensino fundamental em um passeio de colégio. Praticamente nos obrigava a prestar atenção no que explicava o tempo inteiro, chamava a nossa atenção por qualquer coisa e reclamava até se tirássemos uma simples foto, uma verdadeira pedra no nosso caminho! Isso tornou a nossa excursão um tanto quanto chata e massante, fazendo até com que quiséssemos finalizar as visitas antes do esperado, mas demos continuidade… :/

Esse mala nos restringiu tanto depois que se juntou a nós que destruiu até os meus planos de dar altos closes pelas ruas do Pelô, acabaram só rolando alguns, bem poucos… Mas, em compensação, consegui tirar uma série de fotos conceituais maravilhosas! #amém Muitas delas vocês já devem ter visto no meu feed do Instagram, onde eu postei as melhores, mas vocês também poderão ver as que eu já postei e outras ainda nesse post… Foto é o que não faltou nessa nossa saída fotográfica pelo Pelô!

De uma forma geral, a nossa saída fotográfica/rolê turístico pelo Pelourinho foi ótima e super válida! (; Apesar do aspecto negativo que foi o guia turístico sem noção que pegou o bonde andando, foi maravilhoso poder estar no Pelô novamente e dessa vez com meus migos e migas da faculdade, o que tornou toda a coisa ainda mais divertida! E, claro, também foi ótimo poder conhecer um pouquinho mais sobre a história dos museus, exposições e monumentos visitados!

Acabou que, no fim das contas, eu acabei nem entregando a minha pasta pronta para a professora, o que me fez perder direto em sua disciplina, do que me arrependo, é óbvio, mas somou a minha procrastinação de sempre com o meu desânimo em relação à faculdade e deu no que deu! :/ Porém, ainda assim, foi uma experiência que valeu a pena! Até porque eu simplesmente AMO ir ao Pelourinho, inclusive é lá onde sinto que realmente moro na Bahia, sabiam? Sempre que vou fico encantado em como as ruazinhas de pedra, as casinhas retrô coloridas, a diversidade das pessoas que por lá transitam representam tão bem a cultura de Salvador e da Bahia como um todo! <3 A seguir falarei mais sobre cada um dos quatro museus visitados e darei a vocês uma surra de fotos dessa minha mais recente saída fotográfica… Bora lá? 0/

Museu da Misericórdia

O atual centro cultural, nomeado de Museu da Misericórdia, um dos espaços culturais mais importantes da Bahia, está instalado onde era, na verdade, o hospital Santa Casa de Misericórdia.

Com ampla estrutura e uma fachada externa belíssima, o museu abriga uma série de pinturas, esculturas e objetos, de origem brasileira e portuguesa, a grande maioria exprimindo temas religiosos. As obras de arte encontradas no museu foram doações de benfeitores da igreja, que acreditavam que, ao fornecer as obras, se libertariam dos pecados que haviam cometido. Curioso, né?

E, sem dúvidas, a obra de arte de maior destaque do museu é a estátua da Misericórdia, localizada bem no centro do salão principal da instalação.

Entretanto, além das obras ligadas à arte sacra, também encontram-se expostos no museu artigos de luxo, entre eles aparelhos de jantar e lustres.

Uma das partes do museu que eu mais gostei de visitar foi a ala hospitalar. Foi bem legal ver todos aqueles frascos de remédio e aparelhos usados em procedimentos médicos sabendo que aquele lugar realmente já foi um hospital de verdade um dia.

Informações gerais sobre a visitação do museu:

O Museu da Misericórdia localiza-se na Rua da Misericórdia, 6 – Praça da Sé, Salvador – BA e seu horário de funcionamento é, de segunda à sexta, das 08h30 às 17h30 e sábado, das 09h às 17h. Para saber mais informações no site oficial do museu clique aqui.

Palácio Rio Branco

Localizado na Praça Tomé de Sousa, o Palácio Rio Branco trata-se da antiga sede do governo da Bahia e um dos mais antigos palácios do Brasil.

Construído inicialmente por Tomé de Sousa, primeiro governador geral do Brasil, em meados do século XVI, o espaço passou por uma série de reformas até chegar à configuração atual, uma delas em função de um bombardeio realizado na cidade de Salvador, a mandato do presidente da república da época, Hermes da Fonseca, deixando a maior parte do palácio devastada.

Apesar de ter sido idealizado para ser o centro da administração portuguesa, o palácio já apresentou várias funções, como quartel e prisão. Inclusive abrigou Dom Pedro II, em uma de suas visitas à Bahia.

Hoje em dia, o palácio, nomeado de Rio Branco como forma de homenagear Barão do Rio Branco, um dos maiores estadistas brasileiros, expõe vários pertences de governadores baianos, incluindo um salão apenas com quadros de pinturas desses governadores, um dos espaços de maior destaque do palácio.

Apesar de sua construção externa também ser bastante bonita, o que chama a atenção mesmo quanto à arquitetura do lugar é uma escadaria de ferro e cristal, de origem francesa, que dá acesso a um dos salões da instalação. Salão esse localizado em uma das áreas do palácio que, infelizmente, se encontra interditada.

Uma das exposições que mais gostei do palácio foi uma que mesclava fotos de pessoas reais com pintura, achei bem artístico.

Informações gerais sobre a visitação do museu:

O Palácio Rio Branco está situado na Ladeira da Praça, S/N – Centro, Salvador – BA e seu horário de funcionamento é, de terça à quinta, das 10h às 15h e sábado, das 13h30 às 17h.

Memorial das Baianas

Inaugurado em junho de 2009, o Memorial das Baianas está situado em paralelo à Praça da Cruz Caída, já mencionada anteriormente nesse mesmo post.

Também chamado de Memorial da Baiana de Acarajé, o espaço possui como objetivo expor e documentar a tradição e história das mulheres que faziam e comercializavam a mais famosa comida típica da Bahia, o acarajé. E esse objetivo é cumprido, pois, ao longo da exposição, encontramos vários adereços, artesanatos, instrumentos gastronômicos e muito mais objetos relacionados às baianas e ao acarajé.

Considerado Patrimônio Cultural do Brasil, o espaço, que é infinitamente menor do que os museus citados acima (e, para a alegria de todos, é climatizado!), é uma ótima oportunidade para conhecer mais sobre as baianas, essa marca tão importante na cultura da Bahia.

O que eu achei mais interessante ver no Memorial das Baianas foi a transição da produção do acarajé da antiguidade até os dias atuais. Antigamente, era preciso muito mais trabalho braçal e força mesmo do que hoje.

Informações gerais sobre a visitação do museu:

O Memorial das Baianas localiza-se na Praça da Cruz Caída, S/N – Centro, Salvador – BA. Não encontrei o horário de funcionamento disponível na internet, mas o telefone para contato é (71)33229674.

Museu da Gastronomia Baiana

Instalado bem no centro do Pelourinho, o Museu da Gastronomia Baiana foi inaugurado em agosto de 2006 pelo SENAC (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial) e possui como finalidade apresentar ao mundo a culinária tão peculiar característica da cultura baiana.

Ao longo da exposição, encontramos vários artefatos que remetam à culinária baiana como fotografias de grandes fotógrafos e maquetes que possuem como temática maneiras de comer, as festas de largo, as baianas de acarajé e a diversidade de comer na rua, na casa, na festa e em cerimônias religiosas como um todo, instrumentos de cozinha antigos, homenagens à personalidades que fizeram parte da construção da história da gastronomia baiana e muito mais.

Já a arquitetura do espaço é um show à parte! O salão de entrada do museu é revestido por Muralhas de Santa Catarina, o mais antigo e importante marco arqueológico de Salvador. Há também um cuidado maior com a iluminação do ambiente… É realmente um cenário bem bonito de se ver! Assim como o Memorial das Baianas, aqui a instalação também é pequena e o ambiente também é climatizado.

Gostei de saber um pouco mais sobre as especiarias baianas, algumas que inclusive eu nem sabia que existiam.

Informações gerais sobre a visitação do museu:

O Museu da Gastronomia Baiana está situado na Praça José de Alencar, 13/19 – Largo do Pelourinho, Salvador – BA e seu horário de funcionamento é de segunda à sábado, das 09h às 17h.

 

 

Informações importantes sobre os museus:

Achei importante relatar por meio deste que os museus mencionados acima, principalmente o Museu da Misericórdia e o Palácio Rio Branco, assim como o Monumento da Cruz Caída, estão com o seu estado de conservação um pouco decadentes, necessitando de reformas.

E o Pelourinho como um todo é um ponto um pouco perigoso de Salvador, onde ocorrem muitos assaltos. Inclusive eu mesmo presenciei um em frente ao Monumento da Cruz Caída, antes de eu e meus amigos da faculdade entrarmos no Memorial das Baianas. Logo se faz necessário um cuidado maior com os seus pertences, ok?

 

E aí, o que acharam da minha saída fotográfica pelo Pelourinho? Qual dos museus que eu visitei vocês mais acharam interessante e ficaram com vontade de visitar também? Já estiveram em algum deles? Quais outros pontos turísticos de Salvador vocês gostariam que eu visitasse e falasse sobre aqui no blog? Me contem tudo nos comentários! Eu vou adorar ler e responder! 😉

Tudo sobre o meu processo teórico na autoescola

julho 17, 2016
Foto: Reprodução/Kaboompics

Foto: Reprodução/Kaboompics.

Como eu já havia comentado aqui no blog antes, no iniciozinho do mês de abril, exatamente na mesma época do lançamento do blog, eu iniciei as minhas aulas teóricas na autoescola. Mas não, o início das aulas teóricas não é o primeiro passo desse looongo processo que é aprender a dirigir, algumas outras etapas iniciais antecedem isso, assim como também há as etapas sucessoras ainda como parte do processo teórico. Eu iniciei esse processo no início de março e o finalizei no final de maio, durando aproximadamente dois meses e meio (incluindo imprevistos). Como já concluí todas as etapas desse processo e inclusive já estou na metade do processo prático, decidi trazer o assunto para o blog explicando esse primeiro processo dividido em tópicos, para que fique algo mais organizado e compreensível. E, ah, levando em consideração que esse post está indo ao ar muito mais tarde do que eu havia imaginado, talvez eu deixe de fora alguns detalhes, mas vamos lá…

1ª etapa: Ida ao RETRAN para cadastro, apresentação de documentos e compra do laudo

Ir ao RETRAN (ou ao órgão que represente o DETRAN do seu município) para cadastro e apresentação de documentos é a etapa que dá start ao, como eu disse antes, longo processo que é tirar a carteira de habilitação, também conhecida como CNH. No meu caso, essa parte burocrática inicial foi feita no RETRAN de Lauro de Freitas, que é a representação do DETRAN no município onde eu moro. É lá onde se resolve toda a parte de documentação de veículos.

Para dar início ao processo, é necessário levar um documento de identificação, CPF e comprovante de residência ou domicílio (original e cópia de todos esses documentos). Logo em seguida será preenchido um formulário com mais informações pessoais e ocorrerá o encaminhamento para o banco, onde terá que ser paga uma taxa referente aos serviços feitos, mais conhecida como laudo (cujo valor estimado é de R$158).

É também nessa etapa que haverá o encaminhamento para a clínica onde serão realizados o exame médico e o psicoteste. Eu passei por toda essa parte burocrática no início de março e foi uma etapa bem rápida de se resolver. Para saber mais sobre essa parte burocrática e documentação é só clicar nesse link (lembrando que esse link é referente ao processo feito aqui no estado da Bahia, eu não sei dizer se há alterações entre os estados, portanto se faz necessária a visita ao site do DETRAN referente ao estado onde se resida).

2ª etapa: Exame médico e psicoteste

Esta etapa foi realizada pouco tempo depois da etapa anterior, em meados do mês de março. Consistiu basicamente em ir à clínica indicada pelo RETRAN para a realização do exame médico e psicoteste, que irão definir a aptidão para dirigir e dar início às aulas teóricas na autoescola ou não.

Há também um valor cobrado para essa etapa do processo, referente ao exame médico e ao psicoteste, que é consideravelmente mais caro que a taxa da etapa anterior (o laudo), não me recordo a exatidão do valor agora, mas arrisco dizer uns R$350, em média. Pois é, nada barato todo esse processo, não é mesmo?

Na clínica, primeiramente é realizado o exame médico e depois o psicoteste, que é a parte mais demorada, pelo menos na minha experiência foi assim. Na ocasião, a mesma profissional que realizou o psicoteste também solicitou que eu preenchesse uma ficha com meus dados pessoais e respondendo a algumas perguntas e também quis conversar comigo individualmente com a mesma pauta das perguntas da ficha, quis saber sobre a minha personalidade, sobre o meu comportamento em casa e em outros ambientes, se eu bebo, fumo, faço uso de algum medicamento em específico, se na minha família há histórico de alcoolismo, etc.

O exame médico em si, que é feito individualmente, é bem rapidinho, basicamente tive que olhar dentro de uma máquina algumas letras e números e dizer quais eram e apertar uma espécie de alicate, muito provavelmente para avaliar minha capacidade visual e motora, respectivamente. A médica que me avaliou me deu o resultado de imediato, dando um ‘ ok ‘ pra que eu seguisse para o psicoteste.

Antes da aplicação desse, foi exibido um vídeo sobre simpatia e organização no trânsito (mas acho que isso não é um padrão, algo que acontece sempre, rs). Logo depois foi realizado o psicoteste, uma prova escrita dividida em etapas acompanhadas pela aplicadora da prova, que foi feita juntamente de outras pessoas. Eu não me lembro de todas as etapas em si, mas todas elas precisam ser feitas dentro de um determinado tempo estabelecido pela aplicadora da prova, variando entre 3 e 15 minutos, em média, a depender da complexidade da etapa.

Me lembro da mais complexa e demorada, realizada por último, ser uma mini prova com questões múltipla escolha sobre lógica (com muitas formas e figuras geométricas). Também me lembro de uma em que tínhamos que ligar os pares de figuras iguais em um mosaico. Uma outra pedia que nós riscássemos em ordem numérica crescente placas numeradas de 1 à 50 dispostas aleatoriamente em uma folha. E, claro, a clássica etapa de preencher uma folha em branco com uma série de pauzinhos, que precisavam seguir um padrão de comprimento, largura e espaçamento.

Achei as etapas bem tranquilas e fui bem nelas, logo fui aprovado também! O resultado do psicoteste não é dado na hora, é divulgado poucos dias depois em um endereço de site que eles dão após a finalização da prova.

3ª etapa: Aulas teóricas

Após aprovação no exame médico e no psicoteste, eu já tinha sinal verde pra me matricular na autoescola e iniciar as minhas aulas teóricas. E é o que foi feito, mas somente no início de abril, mais especificamente no dia 11 (uma segunda-feira), já que mesmo com a rápida divulgação online do resultado positivo do psicoteste, eu tinha uma viagem marcada para o Rio de Janeiro logo no iniciozinho do mês e não queria já iniciar e ter que interromper as minhas aulas teóricas enquanto estivesse viajando, portanto esperei voltar de viagem pra começar essa etapa.

No dia 11 de abril, de manhã, eu e minha mãe fomos fazer a minha matrícula na autoescola Villas, que fica bem pertinho da minha casa, sendo que o curso inteiro (incluindo as aulas teóricas, práticas e todas as outras atividades envolvendo a autoescola), referente à primeira habilitação da categoria B, saiu no custo de R$1.650 (!)!

No mesmo dia, à noite, eu voltei à autoescola já pra fazer a minha primeira aula teórica. Ao todo foram 9 aulas, que é a quantidade exigida pelo DETRAN, e eu escolhi a turma noturna por conta da faculdade ser no período da manhã, portanto a carga horária era de 18h às 21h45 (durando 03h45min), com intervalo de aproximadamente 15 à 20min por aula, de segunda à sexta.

No início as aulas eram um pouco massantes, não apenas pela carga horária pesada, mas também por não terem muitas atividades interativas além de tirar dúvidas com o professor. Era bastante difícil conseguir manter a atenção e a concentração durante todo o tempo da aula. Porém, com o passar das aulas, foi melhorando, já que o professor dividiu a turma em grupos e estabeleceu uma líder de sala, para que pudesse organizar e tomar frente das atividades propostas por ele. Basicamente respondíamos a questionários eletrônicos em grupo, conversávamos sobre nossas dúvidas em comum, as tirávamos com o professor… E sempre havia um intercâmbio entre os grupos, o que tornava toda a coisa ainda mais dinâmica. Cheguei a ser líder de um dos grupos uma vez inclusive!

O mais interessante era que a posição dos grupos nas atividades daquele dia determinavam a ordem de saída da sala no intervalo e no término da aula. Ou seja, além do intuito de aprender e ser aprovado na prova teórica, todos tinham como objetivo ir bem nas atividades pra ter vantagem na saída, hehe!

Uma parte chata desse processo das aulas é que ao chegar pra aula, ao descer pro intervalo e ao ir embora após o término da aula tínhamos que registrar as nossas digitais na recepção, o que era um saco, ainda mais pra mim, que tenho uma digital que de vez em nunca é reconhecida (!). Continuo sofrendo com isso agora nas aulas práticas… :/ Quando isso acontecia, ou seja, praticamente SEMPRE, a minha presença era registrada por foto (que é o que ainda acontece atualmente).

Durante as aulas, através das explicações do professor, de slides, de atividades em grupo e de uma apostila (que vergonhosamente não li até hoje, hihi!), aprendemos os assuntos: legislação, infrações e sinalização de trânsito, direção defensiva, primeiros socorros, cidadania, meio ambiente e mecânica básica. As aulas sobre legislação, infrações e sinalização são um tanto quanto chatinhas, já direção defensiva, primeiros socorros, cidadania e meio ambiente adorei aprender! Acho que faltou aprendermos mais a fundo mecânica básica, que foi deixada pelo professor literalmente para o final do curso, na segunda metade do último dia de aula! Tanto que estou sentindo falta disso agora durante as aulas práticas, mas, já foi…

De uma forma geral, eu gostei das aulas teóricas e também gostei bastante do meu professor, Valnei (não sei se é assim que escreve), que é um verdadeiro expert em trânsito, super solícito e, com bom humor, tornou as aulas bem mais leves e tranquilas. A relação criada entre os grupos e a turma como um todo foi bem legal também. No último dia de aula rolou até uma confraternização com comes e bebes (com direito à pizza da DaBox e tudo! Amo! <3)!

Das 9 aulas exigidas pelo DETRAN, fiz 8 no meu curso normal, já que em um dos dias acabei me atrasando e perdendo a aula. Foi uma dor de cabeça e tanto pra conseguir repor essa aula perdida, mas finalmente no dia 17 de maio (uma terça-feira) consegui encerrar oficialmente o meu curso teórico com a reposição da tal aula.

4ª etapa: Simulado

O simulado é uma espécie de treino para a prova teórica e, diferentemente dela, que é feita no RETRAN, ele é realizado na própria auto-escola. Felizmente consegui marcar o meu para um dia depois da reposição da aula teórica que eu havia perdido ao longo do meu curso normal, logo fiz o simulado no dia 18 de maio (uma quarta-feira).

Eu achei que fosse obter um rendimento bem ruim pelo fato de os assuntos aprendidos durante as aulas não estarem mais tão frescos na minha mente, já que do fim do meu curso normal até a reposição da aula que faltava pra cumprir a carga horária exigida pelo DETRAN se passaram muuuitos dias…

Mas, para a minha surpresa, obtive 70% de aproveitamento, que é o que deve ser obtido também na prova teórica, que é a que dita a aptidão para o início das aulas práticas ou não! Fiquei bem surpreso e feliz com o meu resultado! 0/

Sobre a estrutura do simulado, que é eletrônico e supervisionado pelo DETRAN através de uma câmera embutida no computador que filma o participante durante a prova, são 40 questões abrangendo todos os assuntos dados nas aulas em um tempo de 50 minutos. No meu simulado, pelo menos, caíram em peso os assuntos de direção defensiva, primeiros socorros, legislação e sinalização de trânsito, logo entendi o motivo de mecânica básica ser deixada um pouco de lado durante as aulas.

Achei as questões bem tranquilas, mas absolutamente nada de ridículas como algumas pessoas haviam me dito antes de eu poder fazer minhas próprias constatações! O legal é que junto ao resultado também foi mostrado a mim um índice com os assuntos que mais acertei e que mais errei, o que é um feedback bem legal ao participante! E, sim, o resultado do simulado sai de imediato!

5ª e última etapa: Prova teórica

Com o bom rendimento que obtive no simulado, acabei indo fazer a prova teórica sem grandes nervosismos, o que foi muito bom e eficaz. Fiz a prova, que se trata da etapa final do processo teórico, no dia 30 de maio (uma segunda-feira), no RETRAN (o mesmo local onde fui lá no iniciozinho do processo, na primeira etapa, de cadastro, apresentação de documentos e compra do laudo).

Foi necessário apenas apresentar alguns documentos e registrar a minha digital (que, mais uma vez, demorou de dar as caras…) para que eu pudesse iniciar a prova, que, seguindo os moldes do simulado feito anteriormente, era online, monitorada pelo DETRAN, com 40 questões e 50 minutos pra fazer. Os assuntos que caíram em mais e menos frequência também foram os mesmos do simulado, a única diferença é que achei o nível das questões da prova um pouquinho mais elevado.

Por sorte, consegui ser aprovado de raspão! Era preciso que eu acertasse 25 questões e acertei 26! Olha, se isso não foi sorte, eu realmente não sei o que foi, viu? HAHAHA O resultado também saiu de imediato e, estando euzinho aprovado, já estava apto para o início da outra metade do processo que é aprender a dirigir, a prática! 0/

 

E aí, qual das etapas do meu processo teórico na autoescola mais chamou a atenção de vocês? Vocês já passaram por isso? Ou estão prestes a passar? Tem alguma dúvida que talvez eu possa tirar? Compartilhem tudo comigo nos comentários que eu vou adorar ler e responder! E continuem ligados porque assim que eu terminar a parte prática, que já está em curso, faço um post sobre as etapas dela também, combinado? 😉

3 fotos: Comprinhas na Saraiva, batata rústica do McDonald’s e pug

julho 17, 2016

Aqui, nesta sessão fixa do blog, postarei os três acontecimentos destaques da minha semana através de três fotos referentes aos mesmos.

1 – Comprinhas na Saraiva:

 

Na última segunda-feira (dia 11), logo no iniciozinho da semana, transformei o dia mundial mais odiado da semana em um dia maravilhoso ao finalmente conseguir comprar duas coisas na Saraiva do Salvador Shopping que eu já estava querendo há muuuito tempo: o álbum Last Year Was Complicated, do Nick Jonas, lançado no dia 10 do mês passado e o livro Garota Online em Turnê, da Zoe Sugg (mais conhecida como Zoella), lançado no último dia 04. Apesar de ainda não ter ouvido o disco comprado e lido as letras das músicas que graças ao bom Deus vem no encarte (amo quando isso acontece!), já decorei boa parte das letras de todas as músicas porque simplesmente não paro de ouvir esse álbum no meu Spotify desde quando foi lançado, estou absolutamente viciado! Não foram poucas as vezes em que fui atrás desse bendito CD, mas finalmente consegui a minha cópia física em mãos e assim que eu apreciá-la com calma subirei aqui um post apenas com a resenha do álbum (sim, ele é digno disso!)! Amor demais por essa nova fase do menino Nicholas! <3 E quanto à demorada tradução brasileira de Girl Online on Tour, da Zoella, publicado pela Editora Verus no Brasil, mal posso esperar pra lê-lo e acompanhar o desenvolvimento do relacionamento de Penny e Noah! Espero que esse livro seja tão maravilhoso quanto o antecessor e me deixe uma pilha de ansiedade para ler o próximo, Girl Online Going Solo, que inclusive foi anunciado recentemente pela autora, com data de lançamento prevista para o próximo Dia das Bruxas (nos Estados Unidos) – confiram a capa do novo livro clicando aqui! Fiquem ligados porque Garota Online em Turnê é uma leitura que pretendo fazer ainda nesse mês, logo é provável que muito em breve tenhamos resenha do livro por aqui! 0/

2 – Batata rústica do McDonald’s:

 

Na mesma ida ao shopping do item anterior desse 3 fotos, decidi experimentar a nova batata rústica do McDonald’s e resultado: mal posso esperar pra comê-la novamente! Eu havia descoberto o lançamento dessa batata no cardápio do McDonald’s poucos dias antes pelo Facebook (alguma amiga minha conhece tão bem o meu amor por gordices que me marcou em um post sobre a batata, hehe) e logo tive a oportunidade de experimentar. Diferentemente da batata que o Mc lançou no ano passado em formato de Minions (na época da estreia do filme nos cinemas), cujo gosto na minha opinião é o mesmo da batata tradicional que eles oferecem, achei o gosto da batata rústica bastante diferente. É como se fosse uma batata assada só que muito, mas muito crocante e saborosa! E a porção ainda é bem servida! O McDonald’s arrasou demais nessa novidade, espero que fique no cardápio deles por tempo ilimitado ou ao menos por um looongo tempo! Sempre que eu for lá e pedir uma McOferta, vou substituir a batata tradicional pela rústica, já que não sou muito fã da tradicional (acho industrializada demais) e amei a rústica! Experimentem, vocês não vão se arrepender!

3 – Pug:

 

Esta pug graciosíssima da foto acima é a Lolah, também chamada de Menina, a cachorrinha de estimação da minha amiga Bruna (apesar de eu querer que fosse minha!)! Eu, Bruna e Carol realizamos mais um encontrinho maroto do nosso grupo Meias Zebras na casa de Bruna na última quinta-feira (dia 14) e lá estava Lolah, cheia de energia, como de costume, hehe! Apesar de que quem estava partindo o meu coração de saudades mesmo era Bruna, que, como eu já havia comentado aqui antes se mudou pra São Paulo (</3), também estava com saudades dessa cachorrinha! Eu não levo muito jeito pra brincar com ela e nem sei quando é a hora de parar de fazer carinho, mas mesmo assim adoro ela, assim como cachorros no geral. Mesmo não tendo muito sucesso com os bichinhos de estimação que eu já tive (nenhum deles foi cachorro), eu sempre quis ter um catioro, não só pra tirar uma foto com ele usando aquele filtro de orelhinhas do Snapchat, rs, mas pra cuidar mesmo… Mas, como diz minha mãe, como eu cuidaria de um bichinho que requer tanto cuidado se não cuido nem de mim? HAHAHA Sim, ela realmente diz isso! #sinceridades Espero poder um dia ter um catioro pra chamar de meu, mas enquanto isso não acontece tentamos resistir a essa carinha de ” brinca comigo? ” de Lolah… Me digam: ela não é uma gracinha? <3

 

E aí, gostaram do 3 fotos referente a essa semana? Qual dos três itens acima mais chamou a atenção de vocês? Por quê? Vocês vão aguardar pelas resenhas do álbum do Nick e do livro da Zoella? Já experimentaram a batata rústica do McDonald’s? Não acharam Lolah um amorzinho de pug? Me contem tudo nos comentários logo abaixo! Eu vou adorar saber! Até o 3 fotos da próxima semana! Beijos de luz! 😉

Entretenimento em julho: As coisas mais legais que poderão ser conferidas nesse mês

julho 04, 2016
Foto: Stocksnap.io/Montagem: Spark Post

Foto: Stocksnap.io/Montagem: Spark Post

Como quem acompanha o blog sabe, todo início de mês eu costumo fazer posts com os filmes, livros e álbuns mais legais que serão lançados naquele determinado mês. Essa tradição vou manter, mas não vejo mais necessidade em fazer um post sobre os lançamentos de filmes, outro de livros e mais um de álbuns, então decidi que a partir de agora farei um post único englobando os filmes, livros e álbuns, entre outras coisas, mais legais a serem lançados no mês em questão! Estamos combinados então? (; Dito isso, vamos às melhores novidades de entretenimento que poderão ser conferidas em julho, mês super em baixa quanto a álbuns novos, mas que trará filmes razoáveis e lançamentos literários incríveis… Vamos lá? 0/

Filmes

Os Caça-noivas

 

Foto: Reprodução/CinePOP.

Foto: Reprodução/CinePOP.

O lançamento fílmico de julho nos cinemas que eu mais quero assistir, Os Caça-noivas aparenta ser aquela típica comédia americana que nos faz engasgar com a pipoca de tanto rir na sala de cinema! Com os maravilhosos Zac Efron e Anna Kendrick no elenco principal, o filme mostra a busca dos irmãos Dave (Zac Efron) e Mike Stangle (Adam DeVine) por duas mulheres apresentáveis para que possam os acompanhar ao casamento de Jeanie Stangle (Sugar Lyn Beard), irmã deles. Que, por sua vez, estabeleceu isso como condição para que eles possam comparecer ao casório, já que os dois já são conhecidos por arruinarem as festas de família. O problema começa (muito provavelmente acompanhado da diversão) quando Dave e Mike descobrem que as mulheres recrutadas, Alice (Anna Kendrick) e Tatiana (Aubrey Plaza), aceitam a proposta apenas movidas pelo interesse de viajar de graça para o Havaí, onde vai acontecer a cerimônia e, na verdade, não são nada daquilo que se apresentavam ser no início, e sim suas versões femininas (só que sem limites, hehe)! Uma curiosidade sobre o filme é que o diretor, Jake Szymanski, do famoso programa de comédia americano Saturday Night Live, faz sua estreia como diretor nesse longa. Mais um motivo para o filme superar nossas expectativas de gargalhar sem parar durante a história dos irmãos Dave e Mike!

 

Título original: Mike and Dave Need Wedding Dates.

Ano: 2016.

Gênero: Comédia.

Direção: Jake Szymanski.

Elenco: Zac Efron, Adam DeVine, Anna Kendrick, Aubrey Plaza, Sugar Lyn Beard, (+).

Duração: 01h38min.

Estreia: 28 de julho.

 

A Era do Gelo: O Big Bang

 

Foto: Reprodução/CinePOP.

Foto: Reprodução/CinePOP.

Apesar de não ser uma das minhas animações favoritas, A Era do Gelo: O Big Bang é, sim, um dos filmes que eu pretendo assistir nas telonas em julho. Apenas porque eu amo o Scrat e sua saga aparentemente infindável de proteger sua noz, além de que já assisti a todos os filmes anteriores, então dessa vez não seria diferente… No quinto filme da franquia de sucesso, o esquilo-dente-de-sabre Scrat, em mais um de seus episódios repletos de reviravoltas com sua noz, acaba indo parar no espaço, onde provoca uma série de eventos cósmicos que ameaçam A Era do Gelo. Agora ameaçados de extinção, o bicho-preguiça Sid, o tigre Diego, o mamute Manny e todos os outros personagens se veem obrigados a enfrentar as mudanças climáticas e encontrar abrigo antes que A Era do Gelo desapareça de vez do mapa! E é nessa aventura que eles cruzam com os novos personagens (como a bicho-preguiça Brooke, que fará par romântico com Sid, e o jovem dinossauro Roger) e que viverão momentos cheios de adrenalina e diversão! No time de dubladores da versão brasileira do longa, além de retornarem os atores Tadeu Mello como Sid, Márcio Garcia como Diego e Diogo Vilela como Manny, ainda entram a atriz Ingrid Guimarães como Brooke e o youtuber Whindersson Nunes (sim, ele mesmo!) como Roger, dois dos novos personagens do filme! Apertem os cintos porque uma nova aventura congelante está prestes a começar!

 

Título original: Ice Age 5.
Ano: 2016.
Gênero: Animação.
Direção: Steve Martino e Mike Thurmeier.
Elenco (versão brasileira): Tadeu Mello, Márcio Garcia, Diogo Vilela, Ingrid Guimarães, Whindersson Nunes, (+).
Duração: 01h35min.
Estreia: 07 de julho.

A Última Premonição

 

Foto: Reprodução/CinePOP.

Foto: Reprodução/CinePOP.

Como bom amante de filmes de terror, obviamente eu não podia deixar de fora da minha listinha A Última Premonição! Assisti ao trailer do filme e não me dei muito por satisfeito, não, é que não curto tanto esses filmes de terror pautados em visões, sou mais chegado à tramas com espíritos e matança, rs. Mas, ainda assim, fiquei com vontade de assistir pra ver no que dá! A Última Premonição traz como protagonista a maravilhosa Isla Fisher (nossa eterna Becky Bloom e seus delírios de consumo! <3), no papel de Eveleigh Maddox, uma mulher que passa a ter visões e alucinações um tanto perturbadoras após sofrer um grave acidente de carro, do qual por pouco não saiu sem vida. Após o ocorrido, Eveleigh descobre estar grávida e, assim, na companhia do marido, David (Anson Mount), deixa a cidade grande e se muda para uma nova casa em um vinhedo. Só que essa mudança intensifica ainda mais as visões e alucinações de Eveleigh, que se tornam cada vez mais ameaçadoras, e, para provar sua sanidade mental, um médium entra na história para desvendar o que há de errado com a jovem e sua nova casa. Jim Parsons, da sitcom de sucesso The Big Bang Theory, também está no elenco como Dr. Mathison. E o diretor desse longa, Kevin Greutert, é o mesmo de Jessabelle e Jogos Mortais 6. A Última Premonição não é um dos filmes de terror mais esperados do ano, mas a história aparenta ser pelo menos razoavelmente interessante…

 

Título original: Visions.
Ano: 2016.
Gênero: Terror.
Direção: Kevin Greutert.
Elenco: Isla Fisher, Anson Mount, Gillian Jacobs, Jim Parsons, Eva Longoria, (+).
Duração: 01h23min.
Estreia: 14 de julho.

A Lenda de Tarzan

 

Foto: Reprodução/CinePOP.

Foto: Reprodução/CinePOP.

Também nesse mês, poderemos conferir nas telonas mais um live action de um dos clássicos da Disney, dessa vez, Tarzan. Acho o desenho animado bastante fofinho, mas a história em si não me enche muito os olhos. Porém, o trailer desse live action me agradou, nele encontrei indícios de uma produção muito bem feita, logo acho que vale a pena conferir! A Lenda de Tarzan traz Alexander Skarsgård nas peles do icônico Tarzan (que, aliás, aparenta ter se encaixado muito bem ao personagem), enquanto Jane, seu par romântico na história, é vivida por Margot Robbie. Ocorrida na década de 30, a história já mostra Tarzan e sua esposa Jane civilizados em Londres, quando são convidados a retornar à selva. Tarzan, que foi criado e passou boa parte de sua vida na floresta, tendo depois que se acostumar com os humanos, agora retornará como emissário do Parlamento Britânico. O elenco do filme conta com alguns nomes de peso, como Christoph Waltz (de Django Livre) e Samuel L. Jackson (de Os Vingadores). Apesar de não estar tão ansioso para assistir ao filme, preciso dizer que estou curioso para ver o desempenho (incluindo o físico, hehe) de Skarsgård como Tarzan!

 

Título original: The Legend of Tarzan.
Ano: 2016.
Gênero: Aventura.
Direção: David Yates.
Elenco: Alexander Skarsgård, Margot Robbie, Christoph Waltz, Samuel L. Jackson, Djimon Hounsou, (+).
Duração: 01h50min.
Estreia: 21 de julho.

Livros

Garota Online em Turnê

 

Foto: Reprodução/Editora Verus.

Foto: Reprodução/Editora Verus.

Esta é, sem nem pensar duas vezes, uma das continuações e um dos livros mais esperados por mim para 2016! Garota Online, o livro de estreia de Zoe Sugg (mais conhecida como Zoella), youtuber inglesa, foi apenas o segundo melhor livro que eu li no ano passado, perdendo apenas para Um Ano Inesquecível, parceria entre as autoras brasileiras Thalita Rebouças, Paula Pimenta, Bruna Vieira e Babi Dewet. Eu super consegui entrar na história do livro e simplesmente fiquei apaixonado pelo casal Penny e Noah, protagonistas da trama! #amo Assim que terminei de ler, clamei por uma continuação e, em questão de meses, ela chegou! No final de outubro do ano passado, foi publicado Girl Online on Tour, só que a versão traduzida, intitulada de Garota Online em Turnê, só chegou às prateleiras agora pela Editora Verus! Demorou tanto que eu até cheguei a cogitar a possibilidade de tentar ler a versão original, em inglês, mesmo ainda não sendo fluente (ainda estou trabalhando nisso!), mas agora felizmente não será mais preciso! #glóriaaDeus Em Garota Online em Turnê, Penny é convidada pelo namorado, Noah, um verdadeiro rockstar da atualidade, a se juntar a ele em sua turnê musical pela Europa. Entusiasmada com a ideia de passar um bom tempo na companhia do garoto, Penny topa, só que sem imaginar o que a espera nessa aventura: colegas de banda do rockstar não tão bondosos assim, mensagens de ódio e ameaçadoras das fãs do cantor e até mesmo um Noah extremamente ocupado com sua agenda e compromissos. Somado a isso, Penny ainda precisará lidar com a saudade de casa, dos pais, do melhor amigo gay Elliot (AMO esse personagem! <3) e de seu blog agora não mais anônimo, Garota Online. Como Penny vai reagir a tudo isso? Só lendo o livro pra saber e eu simplesmente estou me mordendo de tanta ansiedade para iniciar logo a minha leitura! 0/

 

Título original: Girl Online on Tour.
Autor(a): Zoe Sugg.
Editora: Editora Verus.
Data de publicação: 04/07/2016.
Gênero: Romance.
Número de páginas: 294.
Compre:

Traços

 

Foto: Reprodução/Editora Outro Planeta.

Foto: Reprodução/Editora Outro Planeta.

Traços é o livro de estreia de Eduardo Cilto, o meu booktuber favorito de todos os tempos! Depois de passar anos falando apenas sobre os livros de outros autores em seu canal de YouTube, Perdido nos Livros, que já contabiliza quase 250 mil inscritos, agora é a vez de Eduardo assumir o papel de autor com a sua primeira ficção! O booktuber já vem trabalhando nesse projeto há mais de um ano, logo podemos esperar um livro super bem estruturado e desenvolvido, acredito eu. Além de que Eduardo lê uma série de livros e tem uma visão bastante crítica para falar sobre eles, então imagino que isso também vá culminar em uma história muito bem elaborada. Sem mais prolongas, em Traços, os protagonistas e amigos Matheus (meu xará! Yaaay! 0/) e Beatriz, após participarem de um ritual místico ao final de uma festa do colégio, que é encerrado com uma resposta um tanto esquisita e instigante sobre o futuro, Beatriz decide fugir para a capital de São Paulo afim de cruzar com seu destino, e Matheus, por sua vez, decide embarcar ao lado da amiga nessa aventura. O que eles não imaginam é que essa fuga trará uma série de desafios que eles jamais imaginaram que pudessem enfrentar! Além da sinopse do livro ter despertado totalmente o meu interesse e me deixado extremamente curioso, a capa do livro é maravilhosa e ver como o Edu depositou amor, carinho e dedicação nesse projeto é algo lindo! <3 Mal posso esperar para ler e para que sejam anunciadas sessões de autógrafos do livro (em Salvador e no Rio, principalmente)! Clicando aqui vocês podem conferir um vídeo no qual o Eduardo anuncia Traços, e nesse mesmo canal vocês podem acompanhar o diário de escrita do livro que ele vem publicando recentemente!

 

Título original: Traços.
Autor(a): Eduardo Cilto.
Editora: Outro Planeta.
Data de publicação: 19/07/2016.
Gênero: Aventura.
Número de páginas: 272.
Compre:

Princesa das Águas

 

Foto: Reprodução/Editora Galera Record.

Foto: Reprodução/Editora Galera Record.

Paula Pimenta está de volta com mais uma edição de suas releituras atuais de princesas, dessa vez apresentando ao público uma versão atualizada de A Pequena Sereia! Após Princesa Adormecida (2014) e Cinderela Pop (2015), em Princesa das Águas a história é protagonizada por Arielle Botrel, uma nadadora famosa que está prestes a viver o maior desafio de sua vida: participar das Olimpíadas pela primeira vez! Quem vê tantas medalhas e troféus se engana achando que a garota tem tudo o que quer a sua disposição. Pelo contrário, por ser a caçula de sua família, Arielle é super protegida, quando tudo o que queria, na verdade, era se desligar um pouco de sua rotina puxada de treinos e se tornar mais livre. Porém, um acidente grave acontece e ele vem para apresentar à Arielle um mundo completamente novo! No qual, inclusive, ela se apaixona por um cara que imagina ser seu príncipe, mas para viver esse amor a garota precisará abrir mão de algumas coisas… Apesar de essa série de releituras atuais de princesas que a Paula escreve não ser muito do meu interesse, eu simplesmente amei a sinopse e já estou super curioso para ler o livro! E essa capa toda delicadinha? Amô demais! <3 Uma coisa legal é que no dia 04 de agosto, Paula virá à Salvador para autografar o livro! 0/ Clicando nesse link é possível ver se a autora também passará pela sua cidade com os lançamentos de Princesa das Águas! De nada!

 

Título original: Princesa das Águas.
Autor(a): Paula Pimenta.
Editora: Galera Record.
Data de publicação: 22/07/2016.
Gênero: Romance.
Número de páginas: 368.
Compre:
E aí, o que vocês acharam da minha seleção com as coisas mais legais para se conferir por aí em julho? Qual desses filmes vocês mais querem assistir? Qual desses livros vocês mais querem ler? Deixei de mencionar algum filme/livro legal? Me contem nos comentários! Eu vou adorar saber! 😉
Navegue nas páginas1234567... 11»

Papo de Matheus • todos os direitos reservados © 2018 • powered by WordPress • Desenvolvido por