Resumo mensal – #Abril2016

maio 04, 2016

Aqui, nesta sessão fixa do blog, postarei um resumo com os principais acontecimentos do meu mês.

Abril: O que dizer desse mês maravilhoso que mal acabou, mas já está deixando saudades? 🙁 O quarto mês do ano, que inexplicavelmente é um dos meus favoritos (vibes e tal, hehe), foi extremamente importante e especial dessa vez, não apenas pra mim como também pro blog, já que foi no início desse mês que o blog finalmente nasceu! 0/ Além de várias outras coisas legais e relevantes que aconteceram por aqui nesse mês! Portanto, sejam muito bem-vindos ao primeiríssimo Resumo mensal do blog e fiquem à vontade pra relembrar abril comigo à seguir…

 

– O ano mal havia começado e eu já aguardava ansiosamente pela chegada do mês de abril… O motivo? Eu já sabia que nele aconteceria um dos maiores e melhores shows do ano, na minha opinião, o show de lançamento da nova turnê da Anitta, a Bang Tour! Apesar de fazer planos pra ir, óbvio que eu sabia que não seria tão simples assim, e de fato não foi. Meus pais encrencaram bastante pelo fato de eu perder aula e também por causa do alto preço das passagens aéreas, sem contar que eu havia acabado de passar as férias de verão no Rio, como de costume, e já havia assistido à milhares de shows da Anitta. Eis que um anjo querubim chamado Jaqueline (Jaque, amiga de meu pai e minha também) ficou sabendo do meu interesse em ir ao show e me ofereceu suas milhas que já estavam prestes à expirar! Resultado: Topei, é claro (com o consentimento dos meus pais)! E fui! No final das contas, o show, que aconteceu no dia 07 (uma quinta-feira), na casa de show Barra Music (que eu sempre quis ir), acabou não superando as minhas expectativas, longe disso, aliás (o motivo disso e os detalhes sobre o show vocês podem ficar sabendo clicando aqui), mas ainda assim foi extremamente especial pra mim e pude aproveitar e me divertir bastante com meus migos do Rio. Sem contar que algumas horas antes do show ainda fui atrás de Anitta na Rádio FM O Dia e, mesmo que por pouquíssimos minutos, consegui matar um cadinho das saudades que estava dela! <3

 

– Como bom amante do Rio de Janeiro, óbvio que eu não podia deixar de visitar a Cidade Maravilhosa mais uma vez sem curtir mais um pouquinho, né? Como fiquei na cidade da manhã de quinta (dia 07) até a noite de sábado (dia 09), além da Bang Tour e da Rádio FM O Dia, ainda na própria quinta-feira fui ao boliche do Barra Shopping com Rita (amiga que fiz há pouco tempo, mas que já considero pakas, hehe), onde mitamos na vida, não apenas sendo dois desastres ambulantes no boliche como também dando close na decoração bem Pinterest do lugar, e ao Paris 6, restaurante onde se pode encontrar a melhor sobremesa da vida (um grand gateau dos sonhos), sendo que dessa vez traí a Paloma Bernardi na maior cara dura ao comer uma Manu Gavassi (sim, os pratos recebem nomes de celebridades). Foram tantos orgasmos seguidos comendo a Manu que até cheguei à ouvir ela cantando o EP Vício inteirinho pra mim, acreditam? Minha amiga Victória também não! Inclusive ela morreu de vergonha na hora, coitada! Na sexta-feira fui comer a minha pizza favorita da vida, a de frango com catupiry da Parmê, com a minha avó, Tiana, e quase esmaguei de tanta saudade quando vi minhas parças Jaque, Juliana e Tamires. No sábado, finalizando essa saga Rio, claramente o melhor dia dessa mini viagem, eu e Patrícia, do canal Não Seja Menas, fomos dar close atrás de close em uma saída fotográfica/turística que incluiu no roteiro Museu do Amanhã, Escadaria Selarón e, por muito pouco, Parque Lage, hehe (vocês podem conferir os detalhes e as fotos lyndas desses rolês clicando aquiaqui e aqui). Foi também nessa minha mais recente ida ao Rio que finalmente consegui comprar algo que eu sempre quis ter: Um Adidas Superstar Foundation (#amém)! Ainda não encontrei uma oportunidade digna para usá-lo, mas quando isso acontecer posso fazer post falando mais sobre o tênis aqui, fechou?

 

– Apesar de que ver Anitta e estar no Rio são sempre motivos enormes de felicidade pra mim, é indiscutível que o principal destaque desse mês foi o nascimento desse filho que eu já vinha planejando com muito amô e carinho há bastante tempo, o lançamento do blog! <3 Papo de Matheus foi ao ar oficialmente no dia 11 (uma segunda-feira) com um post lindão cujo objetivo era que vocês conhecessem um pouquinho mais sobre mim e sobre o projeto (que, caso não tenham lido, podem ler clicando aqui) e, desde então, tem sido tão incrível postar conteúdo legal ~ praticamente ~ todos os dias e receber tantos votos de boa sorte e comentários cheios de amô, carinho e positividade que se torna impossível o coração não acelerar mais rápido! Tudo o que eu posso dizer é que eu tô amando, de coração, fazer isso e espero poder continuar por muito tempo! E que a cada dia eu tenha mais de vocês comigo! Sou extremamente grato por todos aqueles que já acompanham e apreciam o meu papo, hehe! 😉

 

– Também nesse mês de abril, finalmente dei o meu primeiro grande passo nesse longo processo que é aprender à dirigir, que é algo que apesar de ter receio, eu sempre quis! No dia 11, mesmo dia em que o blog foi lançado, foi o meu primeiro dia de aula teórica na auto-escola! Do total de 9 aulas que compõem essa etapa, fiz 8, praticamente em dias seguidos, das 18h às 21h45, com intervalo de aproximadamente 20 minutos por aula, o que tornava toda a coisa bem cansativa e até um pouco massante, mas ao mesmo tempo produtiva. Nessas 8 aulas que fiz aprendi bastante coisa importante sobre os tópicos legislação, infrações, sinalização, direção defensiva, primeiros socorros, cidadania, meio ambiente e mecânica básica. Obviamente não sou e muito provavelmente nunca serei expert quando se tratar de trânsito, mas somando as aulas teóricas que assisti com o estudo da apostila acho que já é suficiente para que eu consiga ser aprovado no exame teórico. Antes disso, farei uma aula de reposição (afinal, para o DETRAN, 9 são 9) e um simulado com questões abordando todos os tópicos que aprendi durante as aulas. Acredito que ainda nesse mês de maio eu já inicie nas aulas práticas, pelo menos assim espero, hehe! Eu falei um pouco mais detalhadamente sobre as aulas teóricas no primeiro 3 fotos do blog, que vocês podem conferir clicando aqui, mas pretendo fazer posts contando mais sobre a experiência em cada uma dessas etapas mais adiante, combinado?

 

– Um dos últimos acontecimentos do meu mês foi a minha cirurgia de remoção dos sisos, feita no dia 28 (uma quinta-feira). Esse é um procedimento que eu já deveria ter feito há bastante tempo, pois apesar de nunca ter sentido dor ou incômodo especificamente por conta dos sisos, eles estavam pressionando demais os meus outros dentes e inclusive entortando (mais ainda) os meus dentes frontais inferiores. A cirurgia foi realizada na velocidade da luz, durando cerca de 20 minutos (!), mas em compensação foi beeem mais agressiva do que eu pensei que fosse. Os dois sisos inferiores estavam praticamente deitados, sempre querendo dormir na vida, assim como o dono deles, hehe, então mesmo com anestesia local senti muita dor na hora de extraí-los. E, sim, decidi tirar logo os 4 de vez, afinal não queria passar por esse mesmo processo duas (ou mais) vezes, né? O procedimento requer alguns cuidados antes e após ser realizado, uns bem chatinhos, outros nem tanto. Confesso que amei ganhar um pote inteirinho de sorvete só pra mim e poder ter uma overdose de Gossip Girl no Netflix sem peso na consciência, hehe! Mais pra frente também posso fazer um post mais completo contando todos os detalhes sobre a cirurgia e a recuperação! 😉

 

– Quanto as coisas que preenchem o meu dia-a-dia no geral, em abril, eu fiz as minhas primeiras provas de faculdade da vida! Foram ao todo 6 avaliações (já que são 6 disciplinas), aplicadas entre os dias 1º e 14, em dias bem aleatórios. O que quero dizer é que não foi uma semana de provas com provas em dias corridos, o que têm suas vantagens e desvantagens, rs. Do total de 6 provas, fiz 4, que foram, em ordem de acontecimento, de Sociedade e Tecnologia, Produção em Novas Mídias, Antropologia e Práticas Investigativas Interdisciplinares, e deixei de fazer 2, de Oficina de Leitura e Escrita (OLE) e Estética, as quais farei 2ª chamada no final do semestre. Fui bem numa, razoável noutra e bem mal nas outras duas, o que me deixou chateado, mas entendo que é normal, afinal foi o meu primeiro contato com esse tipo de assunto e esse estilo de avaliação e cobrança na vida, então não acho que seja o fim do mundo. Agora é bola pra frente e tentar recuperar os pontos que eu preciso nessas matérias que não me dei bem na Av. 1, como eles chamam a primeira avaliação do semestre. Outra coisa que marcou presença frequente nos meus dias em abril foi Gossip Girl, que, como eu já disse antes (no post com o primeiro 3 fotos do blog, já linkado mais acima), estou completamente VI-CI-A-DO, só que de forma bem mais potencializada agora! Sério, que série maravilhosa! <3 A cada episódio novo, é um derrame, sério, rs! No início do mês eu ainda estava no início da 1ª temporada, mas desde então já avancei bastante e estou quase no final da 3ª temporada, das 6 que compõem a série! E posso afirmar com toda a certeza que estou ainda mais empolgado para assistir aos próximos episódios! Assim que eu terminar de assistir tudo, posso resenhar sobre GG aqui no blog! ” Where has she been? And who am I? That’s a secret that I’ll never tell. You know you love me. XOXO, Gossip Girl. ”

 

E aí, o que acharam do primeiríssimo Resumo mensal do blog? Como devem ter percebido, abril foi um mês incrível por aqui! Que maio não seja diferente, não é mesmo? Até o próximo Resumo mensal! Beijos! 😉

Saída fotográfica: Praça Mauá/Rio de Janeiro

abril 19, 2016

Este é o último post referente ao tour turístico que eu e Patrícia fizemos no sábado retrasado (dia 9) por alguns pontos do Rio, infelizmente (#todoschoram). Na semana passada subi aqui no blog posts bem detalhados e recheados de fotos sobre o Museu do Amanhã e sobre a Escadaria Selarón, as duas primeiras paradas do nosso tour, que vocês podem conferir clicando aqui e aqui. Logo o último post dessa série deveria ser sobre a última parada da nossa saída fotográfica, que foi o Parque Lage, parque público localizado aos pés do morro do Corcovado, na rua Jardim Botânico, de onde não conseguimos passar nem da entrada graças à um bendito casamento que estava rolando lá no dia e que fez a visitação do parque se encerrar mais cedo ao público geral. Ficamos desapontados? Ficamos! Desejamos mentalmente que aquele casamento que barrou a nossa visita ao parque terminasse em divórcio? Calma lá, também não somos tão cruéis à tal ponto, vai! Mas tudo bem, afinal oportunidade é o que não vai faltar, e assim que rolar conhecer o Parque Lage podem ficar tranquilos que contarei tudo sobre aqui, viu?

Então como não rolou conhecer o Parque Lage dessa vez e como vimos na Praça Mauá, aonde se localiza o Museu do Amanhã, nossa primeira parada do dia, muitos cenários legais para modelar, por quê não finalizar essa série lindona de posts com um especialmente para as fotos tiradas na praça? Até porque eu não queria que o post sobre o Museu do Amanhã, onde essas fotos poderiam entrar, se tornasse pesado demais para visualização. Falando de forma bem sucinta sobre a Praça Mauá, esta localiza-se no centro da cidade do Rio de Janeiro, à beira da – polêmica – Baía de Guanabara, marcando o início da Avenida Rio Branco e da Zona Portuária. Apesar de não constituir um cartão postal tão característico da cidade, é de grande interesse dos turistas em função da estátua de Irineu Evangelista de Souza, conhecido como Barão de Mauá, industrial pioneiro do Brasil, além de um letreiro todo colorido com a escrita ” Cidade olímpica ”, em função de a cidade sediar os jogos olímpicos e paraolímpicos desse ano, à serem realizados entre os dias 5 e 21 de agosto, e do Museu do Amanhã ao fundo. Vamos aos closes, rs? o/

 

 

Créditos: Assim como nos posts sobre o Museu do Amanhã e sobre a Escadaria Selarón, muitas das fotos desse post foram tiradas pela minha maravilhosa amiga Patrícia, que como já foi mencionado aqui no blog tem um canal mega divertido no YouTube, o Não Seja Menas, que você pode conferir clicando aqui.

E aí, o que acharam do último post sobre esse tour turístico pela cidade maravilhosa? Espero que tenham gostado de saber um pouco mais sobre esses 3 pontos que visitei e de todas as fotos! Tô pensando em marcar uns rolês por alguns pontos daqui de Salvador com uns amigos blogueiros! Por onde vocês gostariam que eu passasse? Me contem nos comentários! Até mais ver! 😉

Saída fotográfica: Escadaria Selarón/Rio de Janeiro

abril 16, 2016

Dando sequência aos posts sobre o rolê turístico que eu e Patrícia fizemos juntos por alguns pontos do Rio no último sábado (dia 9), é chegada a vez de falar um pouco mais sobre a nossa passagem pela Escadaria Selarón. A Escadaria, que fica entre os bairros da Lapa e de Santa Teresa e que se trata de um dos principais cartões postais da cidade, sempre esteve presente na minha listinha de lugares do Rio que eu gostaria de conhecer, mas sabe-se lá o motivo sempre posterguei essa visita, que é o que faço com quase tudo na vida, ” postergar ”, hahaha… Lembro que sempre ficava encantado com as fotos que via na internet do lugar, fascinado por todas aquelas cores vibrantes e toda aquela diversidade estética que a Escadaria apresenta aos seus visitantes. Como eu havia planejado um roteiro de lugares cult do Rio que eu ainda não conhecia para essa minha viagem mais recente à cidade, obviamente não poderia deixar de fora esse lugar maravilhoso que sempre foi do meu encanto e, finalmente, rolou (eu ouvi um ” amém ”, rs?)! 0/

A Escadaria, obra do artista chileno Jorge Selarón, que inclusive já serviu de cenário para clipes de U2 e Snoop Dogg, foi a segunda parada do nosso tour, logo após a nossa visita ao Museu do Amanhã (que já ganhou um post lindão recheado de informações e fotos, assim como este, que você pode conferir clicando aqui). Assim que chegamos lá, por volta de 15 pras 16h da tarde, não sei dizer ao certo se nos deparamos com mais gringos ou com mais cores, rs. Presenciamos turistas do mundo inteiro, inclusive naturais e moradores da própria cidade, espalhados pelos 125 metros de altura que abrangem a Escadaria, querendo tirar uma casquinha de cada cantinho colorido da construção. Também foi bem legal de se ver músicos de rua, gringos ou não, dispostos em vários pontos da Escadaria, realizando suas performances em variados instrumentos e gêneros musicais, muito provavelmente inspirados pelo colorido da construção, que de fato inspira qualquer um que passe por lá, o que acrescenta ainda mais ao clima urbano e multicultural que conferem à Selarón. É possível encontrar também por lá vários vendedores de artesanato oferecendo aos visitantes lembrancinhas típicas da cidade, como chaves com os principais pontos turísticos do Rio entalhados, azulejos estampados com a sua foto tirada na hora no centro da Escadaria, entre muitas outras coisas. E o legal também é que nas ruas localizadas nas redondezas da construção ainda podem ser encontradas várias pichações lindíssimas, do ponto de vista artístico, que obviamente serviram como cenários de muitos dos closes que vocês encontrarão mais adiante nesse post, hehehe…

E sobre a Escadaria em si, eu simplesmente amei conhecer e fiquei mais encantado ainda! Acho que de todos os pontos turísticos do Rio que já conheci, é o que mais bem consegue representar a cidade, afinal em cada porçãozinha de espaço daquele lugar há uma cor, uma pintura, um detalhe diferente, representando toda a diversidade cultural que é característica da cidade do Rio de Janeiro. Amor demais por essa Escadaria, gente! <3 Vamos às constatações fotográficas de tudo isso, rs? 0/

 

 

Informações gerais sobre a visitação da Escadaria:

Como foi dito anteriormente, a Escadaria Selarón localiza-se entre a rua Joaquim Silva, no bairro da Lapa, e a rua Pinto Martins, no bairro de Santa Teresa. Fica à apenas 5 minutos à pé dos Arcos da Lapa, outro ponto turístico da cidade. A Escadaria possui acesso livre ao público, então não é necessário comprar bilhete de acesso ou algo do tipo. Vale ressaltar que muitos visitantes que já passaram pela Escadaria reclamam de assaltos em suas redondezas, portanto é bom tomar cuidado com seus pertences de valor durante a visita ao local, ok?

Créditos: Assim como no post sobre o Museu do Amanhã, muitas das fotos desse post foram tiradas pela minha maravilhosa amiga Patrícia, que como já foi mencionado aqui no blog tem um canal mega divertido no YouTube, o Não Seja Menas, que você pode conferir clicando aqui.

E aí, gostaram do post sobre mais um ponto turístico da cidade maravilhosa? O que acharam da Escadaria Selarón? Ficaram curiosos para conhecer ou já conheceram? Compartilhem tudo isso comigo nos comentários! Até a próxima! 😉

Saída fotográfica: Museu do Amanhã/Rio de Janeiro

abril 15, 2016

No último sábado (dia 9), eu e minha amiga Patrícia, que além de ser a minha youtuber iniciante favorita também descobri ser uma fotógrafa maravilhosa, fizemos juntos uma saída fotográfica por alguns pontos turísticos do Rio de Janeiro (dois cariocas turixxxtando pelo Rio, hehehe) e a nossa primeira parada foi no Museu do Amanhã, localizado na Praça Mauá, no centro da cidade, onde além de visitarmos, também fizemos umas fotos incríveis, que vocês poderão conferir já já neste mesmo post! Desde as férias de verão passadas que eu morria de vontade de conhecer o museu, mas apesar de ter passado boa parte delas no Rio, a visita acabou ficando para outra oportunidade mesmo, então como tive a chance de viajar pra lá novamente na semana passada, não pude deixar de incluir o museu na minha programação e finalmente rolou, yaaay! 0/

Eu havia comprado os nossos vouchers com antecedência para as 12h de sábado, já que a fila da bilheteria do museu está sempre enooorme, então pra conseguirmos chegar lá com pelo menos meia hora de antecedência, marcamos o nosso encontro às 11h na Central, que fica bem próxima ao museu. O problema é que eu peguei um engarrafamento sem fim na Avenida Brasil e só fui chegar na Central por volta de 12h30, ou seja, 30 minutos depois do horário que eu havia comprado os nossos vouchers, então reduziram-se vertiginosamente as nossas esperanças de conseguir conhecer o conteúdo do museu, mas fomos mesmo assim porque queríamos tentar ter acesso às exposições e mesmo que não conseguíssemos, faríamos fotos na área externa do museu mesmo, que por sinal tem uma vista dos deuses! Finalmente chegamos lá aproximadamente às 13h da tarde e, GRAÇAS AO BOM DEUS, conseguimos acessar o conteúdo do museu, afinal ficamos sabendo que quando se compra um voucher online, independentemente do horário escolhido, o visitante pode chegar lá até às 17h, que é o horário de encerramento da bilheteria do museu. Assim, portanto, iniciamos a nossa visita pelas exposições…

O museu, inaugurado no dia 17 de dezembro do ano passado, concentra as suas variadas e diversas exposições no segundo andar da construção, que ao todo possui cerca de 30 mil metros quadrados, enquanto no primeiro andar podem ser encontrados a bilheteria, o balcão de troca de vouchers por ingressos físicos e uma loja de souvenirs característicos do museu e do Rio, além, obviamente, da área externa, que por sinal é uma das partes mais bonitas e disputadas pelos turistas do museu. No interior do museu, não há um roteiro específico, muito menos funcionários da casa guiando os visitantes para uma exposição ou outra, pelo contrário, todos podem ficar bem à vontade e livres para criarem sua própria programação. Todas as exposições, espalhadas pelo segundo piso, são de fácil acesso e são raras aquelas que prendem os visitantes em longas filas, diferentemente do que é visto do lado de fora do museu, onde visitantes do mundo inteiro se organizam em filas quilométricas com a finalidade de conseguir adquirir ingresso para a visita, com exceção daqueles que se adiantam e compram voucher online, como no nosso caso, hehe. Aliás, vi fila apenas na primeira atividade do museu, que se trata de uma exibição de vídeo, provavelmente sobre o conceito do museu, em uma sala escura, na qual eu e Patrícia optamos por não entrar por conta da fila e já que tínhamos plano de visitar outros lugares depois dali. E também em uma área que continha um painel com uma espécie de quiz, cuja finalidade era atribuir um grau de sustentabilidade de cada visitante a partir de perguntas pautadas no cotidiano de cada um, o que decidimos fazer, já que nem teríamos que esperar tanto assim, mas já não me recordo mais de quanto deu o meu grau de sustentabilidade, rs. Nas outras exposições os visitantes transitam de forma bastante livre, o que achei bem legal.

A temática predominante na maioria esmagadora das exposições do museu é pautada na relação entre tecnologia e sustentabilidade, estabelecendo como objetivo maior provocar – fazer perguntas mais do que respondê-las, convidando os visitantes à juntos, construirmos os Amanhãs que quisermos. Durante toda a exposição, o público percorre uma narrativa multimídia estruturada em 5 grandes momentos – Cosmos, Terra, Antropoceno, Amanhãs e Nós -, cada um encarnando grandes perguntas que a humanidade sempre se fez – De onde viemos? Quem somos? Onde estamos? Para onde vamos? Como queremos ir?. Por conta disso, de possuir como finalidade expor as mudanças, perguntas e a exploração de possibilidades futuras para a humanidade, que o museu se enquadra em uma ” terceira geração ”, enquanto os museus classificados como de ” primeira geração ” são voltados para os vestígios do passado – como os museus de história natural – e os de ” segunda geração ” buscam difundir as evidências do presente – como os museus de ciência e tecnologia. Ou seja, a pretensão do Museu do Amanhã é inaugurar uma nova geração de museus de ciências no mundo, o que aparenta estar conseguindo cumprir, e muito bem.

Por fim, posso dizer que a visita ao museu foi extremamente válida, afinal é exatamente o que eu esperava. Eu simplesmente adorei o conceito relacionando tecnologia e sustentabilidade do museu e todo o aspecto inovador que o mesmo carrega. Também achei que todas as exposições refletem com clareza e maestria todo o conceito que o museu deseja passar aos seus visitantes, que inclusive, constituem parte importante das exposições, afinal participam de quase todas elas através de painéis touchs, o que foi bem legal de se ver também. Super recomendo o Museu do Amanhã! Se forem viajar pro Rio ou até mesmo se forem moradores da cidade e ainda não conhecem, vão, pois é um programa que vale muito à pena! Vamos às fotos? 0/

 

 

Informações gerais sobre a visitação do museu:

O Museu do Amanhã localiza-se na Praça Mauá, 1 – Centro, Rio de Janeiro – RJ e o seu horário de funcionamento é de terça à domingo, das 10h às 18h, com encerramento da bilheteria às 17h, sendo que o horário de fechamento das filas está sujeito à alteração diariamente, sem aviso prévio, portanto é bom chegar cedo pra garantir o seu lugar. Clicando aqui é possível saber mais informações sobre o museu, tais como detalhes sobre cada exposição e venda de ingressos online.

Créditos: Muitas das fotos desse post foram tiradas pela minha maravilhosa amiga Patrícia, que como eu mencionei lá no iníciozinho tem um canal mega divertido no YouTube, o Não Seja Menas, que você pode conferir clicando aqui.

E aí, o que acharam do Museu do Amanhã? Me contem nos comentários se ficaram com vontade de visitar o museu ou se já visitaram e o que mais gostaram à respeito dele! Eu adoraria saber! Beijos! 😉

Navegue nas páginas12

Papo de Matheus • todos os direitos reservados © 2017 • powered by WordPress • Desenvolvido por